Notícias

Colecionador de antiguidades de Ivaí possui um grande patrimônio histórico em seu acervo

São mais de três mil itens armazenados em um galpão na sua propriedade

A paixão por colecionar antiguidades é uma característica do empresário de Ivaí, Paulinho Blum. E, todo esse apreço começou a ganhar forma a partir do ano de 1995, e desde então, o acervo só cresceu e hoje contém mais de três mil itens antigos, entre lampiões, máquinas de escrever, utensílios domésticos, documentos, vestuários, ferramentas, equipamentos eletrônicos, moedas, instrumentos musicais, além de uma diversidade extensa para nomear.

 

Mas, o grande legado deste acervo são os fósseis de dinossauros e de árvores (que viraram pedras), e uma coleção de cerca de mil peças indígenas, que entre eles consta uma tumba (para enterro de cacique ou crianças) e diversas pontas de flechas, além disso, também algumas pedras exóticas e raras.

 

“Eu sempre gostei de coisas antigas, desse resgate para entender nossas origens. Tudo começou com uma coleção de relógios antigos de bolso, aí as pessoas foram sabendo que eu gostava de coisas antigas e comecei a receber muitas doações, algumas fiz trocas e o volume foi crescendo”, relata Paulinho.

 

Os itens expõem muitas questões e períodos históricos de Ivaí e região, mas também do Brasil e do mundo. Pois, há itens que foram fabricados em outros países.

 

PRÓPOSITO

A intenção sempre foi de montar um museu e compartilhar todo esse legado histórico com mais pessoas. “Uma das ideias é fazer a doação, ainda a definir pela família, para que todas as peças possam ser utilizadas para a organização de um museu”, comenta Paulinho.

 

A diversidade é tão grande que é possível montar espaços domésticos completos com as antiguidades, como cozinha, sala, quarto, banheiro, entre outros. Além da possibilidade de separar por espaços comerciais antigos, como: equipamentos rurais, ferramentas para oficinas, itens industriais, móveis de armazém, documentos e revistas, e muito mais.

 

CONTRIBUIÇÃO

A formação do acervo teve uma importante contribuição do senhor Guilherme Gunther Ramsdorf, que fez a doação de diversas rochas e peças indígenas que eram do seu irmão, o senhor Frederico Germano Ramsdorf.

 

Confira abaixo a galeria de imagens:

 

 

 

 

 

Fonte : AgroRegional

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: