Notícias

Investimento em irrigação e energia solar dão bons resultados em propriedade de Ivaí

A família Giovannetti está contente com a melhora na produção do tabaco e a queda na conta de luz

 

Apostar nas mudanças para produzir mais e melhor. Essa foi a decisão do casal Ederson Luis Giovanetti (52 anos) e Ivonete Giovanetti (46 anos), produtores rurais da comunidade de Lombão, em Ivaí.

 

Junto com o filho Anderson (22 anos), eles atuam na propriedade plantando diversas culturas, mas assim como boa parte dos agricultores, vinham sentindo os impactos do clima.

 

Ederson diz que ele e a família possuem uma relação de respeito e amor com a agricultura, onde sempre estiveram. “Sempre trabalhamos na agricultura. Mudou várias coisas. Anos atrás se trabalhava com animais e arados braçalmente, enxadas e outras ferramentas. Agora, é mais mecanizado. Vemos com bons olhos, diminuiu o trabalho e facilita para o agricultor”, afirma em relação aos avanços pelo qual o agro vem passando.

 

Além da soja e do tabaco, principais cultivos e que ocupam a maior área, os produtores também plantam milho, feijão, trigo e aveia. De acordo com Giovannetti, em relação ao tabaco, são plantados 100 mil pés e hoje toda a área é irrigada. Porém, o problema não é apenas em relação a falta de chuvas.

 

“Tivemos contratempos com o clima tendo granizo na época de colheita. Teve uma queda considerável, perda de uns 5 mil kg. Colhemos 19 mil kg. A 180g por pé. Vendido a R$16 o quilo”, contou.

 

 

Sobre a soja, ele afirma que plantaram 8 alqueires, mas que pegou o período de seca. “Diminuiu a produção. Colhemos 140 sacos por alqueire, vendido a média de R$180 por saco”.

 

Mas, não é só de prejuízos e incertezas que se movimentam as terras do casal Ederson e Ivonete. O investimento no sistema de irrigação, por exemplo, já tem deixado os produtores mais animados com os resultados. “Resolvermos [fazer a instalação] por ter muitos problemas com as secas. Com o sistema [de irrigação] melhorou muito a produção do tabaco. Estamos vendo um bom resultado na qualidade e na produção. Resolvemos ampliar esse ano para a lavoura de soja com a aquisição de um carretel. No tabaco é feito gotejamento, não há desperdício de água”, explica Ederson.

 

 

O agricultor inclusive está aproveitando a irrigação para o cultivo de milho após a colheita do tabaco. “Uma experiência”, como disse Ederson ao AgroRegional.

 

“Não foi colhido ainda, mas o resultado parece que foi bom. Vai dar uma palhada boa para a próxima safra do tabaco. A produção do milho parece que vai ser boa, e assim vamos fazer duas safra com irrigação. Um aproveitamento bom”, destaca.

 

Energia Limpa

 

Com a irrigação e outros consumos da propriedade, a conta de luz do casal de agricultores tinha tudo para ser muito alta. Mas, há cerca de três anos o casal resolveu apostar na geração de energia solar com a implantação de placas fotovoltaicas no teto de um barracão.

 

“Nós incentivamos os outros produtores a investir na energia solar. Para nós foi muito bom. Aproveitamento em casa, no motor das estufas e na irrigação. Benefício total tendo uma energia sustentável e renovável. Nós, produtores, não precisamos de muito, mas devemos aproveitar as mudanças e assim vivermos melhor”, frisa Ederson Giovannetti.

 

 

Reportagem: Daiara Souza

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: