Notícias

Produção de ovos e carne bovina sofre retração no 2º trimestre, no PR

Conforme a Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, a carne bovina e a produção de ovos tiveram retração de -18,3% e -2,1%, respectivamente

 

Produção de ovos- Granja feliz – Arapongas-Pr – Gilson Abreu/AEN

Apesar de o Paraná ter ampliado a participação na produção de proteínas no 2º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado, houve queda na produção de ovos e carne bovina.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) avaliou cinco itens na sua Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Segundo o Instituto, em três o Estado apresentou expansão, no entanto, a carne bovina e a produção de ovos tiveram retração de -18,3% e -2,1%, respectivamente.

Porém, o Paraná é o terceiro principal produtor de ovos. Em relação à proteína bovina, o Estado ocupa a nona posição.

BOVINOS

Na produção da carne bovina, houve uma redução significativa no plantel, com o Paraná acompanhando a curva nacional. Foram abatidos, de acordo com o levantamento do IBGE, 7,08 milhões de cabeças de boi sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária, o que representa queda de 4,4% ante o 2° trimestre de 2020. É o resultado mais baixo para o período desde 2011.

O abate de 328,33 mil cabeças de bovinos a menos no 2º trimestre de 2021 frente ao mesmo período de 2020 foi ocasionado por reduções em 21 das 27 unidades da Federação. As maiores reduções foram no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia e Bahia.

Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 15,7% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,3%) e Goiás (11%). O Paraná é nono – foram 302.421 cabeças em 2021 contra 370.078 em 2020.

OVOS

 

A produção de ovos de galinha alcançou a marca de 985,70 milhões de dúzias no 2º trimestre de 2021, aumento de 0,9% em relação ao apurado no 2º trimestre de 2020. O resultado representa a maior produção já registrada em um 2º trimestre e a quarta maior produção da série histórica da pesquisa, iniciada em 1987.

 

O Paraná, porém, perdeu um pouco de representatividade, caindo para a terceira posição do ranking, ultrapassado pelo Espírito Santo. Foram 88. 373 milhões de dúzias no período, ante 90.282 do 2º trimestre de 2020.

 

Quantitativamente, os maiores acréscimos ocorreram em Minas Gerais (5,22 milhões), Ceará (4,72 milhões), Mato Grosso do Sul (4,24 milhões) e Bahia (4,14 milhões).

 

A maior queda entre 2ºs trimestres dos dois anos foi observada em São Paulo (-10,90 milhões), entretanto, se comparados ao trimestre imediatamente anterior, a sua produção, na realidade, se manteve estável.

 

Responsável por 27,5% da produção nacional no 2º trimestre de 2021, São Paulo continua como maior produtor de ovos, seguido pelo Espírito Santo, com 9,1%, Paraná (9%) e Minas Gerais (8,9%).

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: