Notícias

Produção de erva-mate cresceu 17% no último ano no Paraná

Maior produção está na região Sul, os núcleos de União da Vitória, Guarapuava e Irati concentram 89% de toda erva-mate produzida

A erva-mate vive um novo ciclo no Paraná, as boas perspectivas, crescente demanda e valorização da cultura ficou evidente do 10º Fórum Institucional da Cadeia Produtiva da Erva-Mate, realizado em dezembro, na Unicentro, em Irati.

A conjuntura econômica da erva-mate foi apresentada durante o evento pelo engenheiro agrônomo da Seab/PR, Rogério Cesar Nogueira. Entre os dados apontados está o de que o Brasil é líder da produção mundial, em 2020 o país produziu 953 mil toneladas de erva-mate, na sequência está o Argentina, com uma produção de 812 mil toneladas.

erva mate

PRODUÇÃO DOS ERVAIS

Nogueira explicou que os levantamentos da produção de erva-mate no Brasil são de responsabilidade do IBGE e divididos da seguinte forma: Produção Agrícola Municipal (PAM) – que é a erva plantada a pleno sol e; Produção da Extração Vegetal e Silvicultura (PEVS).

“Pelo PAM, o Paraná foi o principal produtor neste levantamento, com um volume de 228.382 toneladas. Responsável por 43% da produção nacional, o Estado aumentou em 15% a produção comparada ao ano de 2019. Já pelo PEVS, referente aos ervais nativos ou sombreados, em 2020 foram produzidas 425.970 toneladas de erva-mate, e o Paraná se destaca com uma produção de 372.251 toneladas, o que corresponde a 87% de toda a produção do País”, relata o agrônomo da Seab.

PRODUÇÃO PARANAENSE

Dados do Departamento de Economia Rural (Deral), destacam que em 2020, o Paraná obteve um valor de R$ 4.28 bilhões em produtos florestais. “Deste total, R$ 3.42 bilhões em produtos madeiráveis (serraria, papel e celulose, placas e painéis) e R$ 855.370 milhões em produtos não madeiráveis (mate, pinhão e palmito). A erva-mate foi responsável por 18% de participação nos produtos florestais, com um valor de R$ 753.184 milhões em 2020, um aumento de 15% em relação ao ano anterior. Nos produtos não madeiráveis, a erva-mate representa 88% do valor obtido”, cita.

A produção de erva-mate está presente em 139 municípios do nosso estado, sendo a região sul a principal produtora. Os núcleos de União da Vitória, Guarapuava e Irati são responsáveis por 89% do VBP da erva-mate no Paraná.

Erva-mate

Produção erva-mate Paraná

REPRESENTATIVIDADE ECONÔMICA

“A erva-mate representa um grande valor econômico e cultural nestes municípios. Em Cruz Machado, a cultura é o principal produto agrícola e foi responsável por 28% de todo Valor Bruto da Produção (VBP) do município, com um valor de R$ 127.324.440, o que representa aumento de 15% no ano. São Mateus do Sul, segundo maior produtor de erva-mate do Estado, obteve um aumento de 13% no valor do VBP comparado ao ano anterior, e foi responsável por 18% do VBP do município”, detalha o agrônomo.

A erva-mate produzida no Paraná se destaca pelo sabor e qualidade no produto. Por ser cultivada em sua grande maioria em áreas sombreadas, a erva-mate do Paraná tem um sabor diferencial em relação aos demais estados produtores.

“Atualmente a erva-mate tem uso muito além do chimarrão. Nos últimos anos ela vem ganhando espaço no mercado consumidor internacional e já existem produtos de limpeza, higiene e cosméticos produzidos com a erva, além de bebidas, como energéticos e cervejas, com o mate em sua composição”, comenta.

Outra conquista para a região foi a da Indicação Geográfica (IG), da erva-mate produzida na região de São Mateus do Sul.

Produção ervais no Paraná

Erva-mate sombreada

EXPORTAÇÃO

Segundo Nogueira, os dados do IBGE apontam que em 2020, o Brasil exportou 37.835 toneladas de erva-mate beneficiada (NCM 09030090) e outros tipos de mate (chimarrão, chá, tereré). O valor de exportação foi de US$ 75.095 milhões. O principal destino foi o Uruguai, com um total de 32.242 toneladas, 85% de todo mate exportado.

“O Paraná, em 2020, exportou 2.724 toneladas de outros tipos de mate (chimarrão, chá, tereré), volume igual a 2019, com um valor de U$ 6,1 milhões. O Uruguai foi o principal destino da erva paranaense, o país importou 40% do volume exportado pelo Brasil, seguido do Chile, com 20%”, detalha.

Erva-mate

Engenheiro agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral), Rogério Nogueira, falou sobre a conjuntura econômica recente da cultura

10º FORÚM INSTITUCIONAL DA ERVA-MATE

O evento que reuniu produtores, equipes técnicas da região, indústria e lideranças governamentais no assunto, evidenciou o fortalecimento do setor. Organizado pela Unicentro, o 10º Fórum teve parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater (IDR-Paraná), a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e a Embrapa Florestas, com o apoio da Invest Paraná e Solidaridad Brasil.

Confira a matéria do evento no link.

 

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: