Notícias

Produção de abacate cresceu 34,1% e a área aumentou 19% em dez anos no PR

Apucarana é o principal produtor de abacate, com 11,4% do volume estadual

O abacate teve um incremento de 19% na área de plantio e de 34,1% em produção no Paraná, nos últimos dez anos. Apesar de o volume estadual ainda não ser expressivo nacionalmente, é uma cultura importante, sobretudo na região Norte. A análise sobre a fruta é um dos temas do Boletim de Conjuntura Agropecuária, elaborado pelo Departamento de Economia Rural, da Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento, referente à semana de 27 de março a 1.º de abril.

O abacate é cultivado em 15,3 mil hectares do território brasileiro. Entre as frutas, é a 17.ª em área e Valor Bruto de Produção (VBP), com R$ 362,2 milhões apurados em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Em volume de produto colhido, ocupa o 15.º lugar, com 242,9 mil toneladas.

O Paraná é o terceiro maior produtor, responsável por 9,7% das colheitas. É antecedido pelo Estado de São Paulo, com 50,6% da produção, e Minas Gerais, com 28,6%. O solo paranaense produz 26,4 mil toneladas de abacate em 1,3 mil hectares, o que representa 1,9% do volume da fruticultura estadual. Em 2019, o VBP somou R$ 4,9 milhões.

Nos últimos dez anos, o incremento foi de 19% em área e 34,1% em colheitas. A produção é concentrada na região Norte do Estado, que responde por 75% dos frutos no Paraná. Apucarana é o principal produtor, com 11,4% do volume estadual. O município de Arapongas, contíguo a Apucarana, vem em segundo lugar, com 8% da produção.

No ano passado, o abacate foi a 12.ª colocada entre as frutas mais exportadas pelo Brasil. Foram enviadas 7,6 mil toneladas para o Exterior, o que rendeu US$ 13,2 milhões. O País também é importador da fruta. No mesmo ano, foram compradas 326 toneladas, pelas quais pagamos US$ 874 mil. Em âmbito mundial, o México lidera a produção, com 34,6% da oferta de 6,3 milhões de toneladas registrada em 2018.

As principais cultivares/variedades são: margarida, geada, fortuna, quintal, breda e hass (avocado).
As principais pragas são a podridão radicular (gomose) e a broca da fruta, sendo sugerido o manejo sanitário dos pomares através do controle biológico.
O IDR/PR recomenda o cultivo de diversas variedades e em altitudes diferentes, oportunizando a colheita durante boa parte do ano – de março a novembro – com pico entre os meses de junho e julho.
Nas unidades da Ceasa do Paraná, em 2020, num ranqueamento da comercialização de frutas, o abacate foi a 13ª em volumes e 14ª em valores. Foram 8,9 mil toneladas e R$ 30,5 milhões, a um
preço médio de R$ 3,42/kg, provenientes principalmente dos pomares estaduais (54,0%), São Paulo (40,0%) e Minas Gerais (5,0%). (CEASA’S/PR 2020 FRUTAS: 575,5 mil toneladas e R$ 1,5 bilhão).

 

abacate

cultivo de abacates

 

Fonte: Deral/PR

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: