Notícias

Preços do Milho e Trigo sobem no Paraná, e estiagem preocupa produtores

Em Imbituva, os dois grãos têm expressiva produção

Os preços internacionais de trigo e milho renovaram as máximas dos últimos anos. O trigo, depois de registrar as menores cotações do ano em março, vem registrando forte reação, tendo se valorizado mais de 10% na Bolsa de Chicago apenas neste mês de abril de 2021. Com isso, está no maior patamar desde maio de 2014.

Segundo o Boletim do Departamento de Economia Rural do Paraná (Deral) do fim de abril, esta cotação se deve à expectativa de maior demanda, bem como à valorização ainda mais intensa do milho, de 15%, também alavancada pela demanda chinesa crescente, e frente a aspectos climáticos que podem diminuir a oferta mundial.

O engenheiro agrônomo, Carlos Hugo Godinho, comenta que os valores do milho são recorde em ainda mais tempo: desde junho de 2013. “Internamente, a relação entre preços de milho e trigo é ainda mais evidente. Os preços do trigo subiram, tentando se igualar aos preços do milho no Paraná: no final de março os valores de balcão eram os mesmos para os dois cereais em diversas praças: R$ 84,00 a saca”, comenta.

Porém, devido à recente valorização dos preços internacionais, e à preocupação quanto ao abastecimento interno com milho, os preços voltaram a superar os do trigo, fato incomum, mas já registrado nos primeiros dias de 2020. “A saca de trigo atingiu R$ 88,99 no dia 22/04, alta de 6% em relação ao final de março, enquanto o milho subiu 12%, chegando a R$ 93,70 a saca. Mesmo antes dessa valorização, os preços estimularam a ampliação da área dos dois cereais no Paraná, que apresentam a campo situações diferentes”, explica o agrônomo do Deral.

Enquanto o plantio de trigo é incipiente, o milho está praticamente todo semeado. “A baixa disponibilidade hídrica do solo tem reflexos em ambas as culturas. No entanto, para o trigo, gera apenas uma preocupação leve em relação à implantação mais antecipada, que facilitaria futuros trabalhos de colheita. Bem diferente é o caso do milho, pois nesta semana houve novo rebaixamento de 76% para 62% das lavouras em boas condições, que foram reclassificadas como 31% médias (ante 21% na semana anterior) e 7% ruins (3% antes)”, ressalta.

Os produtores já dão como certas as perdas nas lavouras mais adiantadas, número que já deve refletir na estimativa do mês de abril do Deral.

 

Fonte : Deral

Legenda: Lavouras mais adiantadas do Milho estão sofrendo com a estiagem

 

 

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: