Notícias

Paraná inaugura tecnologia 5G na agropecuária

A tecnologia das telecomunicações vive mais um momento de expansão e o Paraná participa de projeto-piloto de conectividade promovido pelo Ministério das Comunicações.

Foto: Maria Helena Marçal/IDR-Paraná Evento Agroconectado - Londrina, 12/08/2021 - Foto: José Fernando Ogura/AEN

Evento Agroconectado – Londrina, 12/08/2021 – Foto: José Fernando Ogura/AEN

A tecnologia das telecomunicações vive mais um momento de expansão e o Paraná participa de projeto-piloto de conectividade promovido pelo Ministério das Comunicações. Em evento nesta quinta-feira (12), em Londrina, foram apresentadas soluções tecnológicas para o agronegócio, que se beneficiará do 5G.

A apresentação foi feita pela empresa Nokia, a operadora Sercomtel e a Embrapa Soja, que sediou o ato. Entre os participantes, estavam o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Segundo Ratinho Junior, esta é mais uma demonstração de que o agronegócio está cada vez mais integrado à alta tecnologia. “A agricultura saiu da enxada para a tela dos smartphones. O 5G é uma grande transformação, uma verdadeira revolução tecnológica. Para o agronegócio, especificamente, o 5G vai ajudar a elevar a agricultura de precisão que o Paraná já faz, consolidando cada vez mais o Estado como um dos maiores produtores de alimentos do mundo”, afirmou.

Evento Agroconectado - Londrina, 12/08/2021 - Foto: José Fernando Ogura/AEN

Evento Agroconectado – Londrina, 12/08/2021 – Foto: José Fernando Ogura/AEN

O governador ainda lembrou que o Paraná é entusiasta da inovação tecnológica, principalmente na aplicação dela para tornar o trabalho do campo mais eficiente, rentável, sustentável e dinâmico.

“O 5G vem na esteira de outras grandes ações que impactam positivamente nosso agronegócio, como a certificação de área livre de febre aftosa sem vacinação. Um dos próximos objetivos é fazer com que o Paraná passe de um grande produtor para também um grande beneficiador do que é produzido, industrializando o que sai do campo e vendendo para o mundo”, explicou Ratinho Junior.

Segundo o ministro Fábio Faria, um dos papéis do poder público é exatamente induzir o desenvolvimento e promover a evolução do setor produtivo. “O agronegócio é o motor da economia brasileira, foi ainda mais essencial durante a pandemia, e com o 5G podemos ter avanço de até 20% no PIB do agro ao ano”, disse.

“Viajamos ao Exterior para conhecer a experiência de outros países na aplicação dessa tecnologia, e temos certeza que a implementação do 5G por aqui vai fazer do Brasil uma potência em diversos setores”, destacou.

O ministro ainda afirmou que o Tribunal de Contas da União (TCU) vai votar ainda em agosto o edital do leilão do 5G. Segundo ele, a expectativa é de que até a metade de 2022 todas as capitais do Brasil já tenham essa tecnologia à disposição.

A ministra Tereza Cristina destacou a força do agronegócio brasileiro e demonstrou otimismo com a integração cada vez mais intensa da tecnologia no campo. “O agricultor vai estar conectado e recebendo as tecnologias mais avançadas no Brasil. Teremos uma atenção grande com os pequenos agricultores, prestando assistência técnica e democratizando o acesso à tecnologia, para que todos possam ampliar sua capacidade de geração de renda”, afirmou.

 

LONDRINA – Londrina é a primeira cidade do Sul do Brasil a receber as antenas do 5G. O prefeito Marcelo Belinati disse que a cidade se orgulha de poder receber esse projeto-piloto. “O 5G vai transformar a evolução tecnológica, trazer desenvolvimento para a indústria, agronegócio, educação, saúde e qualidade de vida”, salientou. Além de Londrina, Rondonópolis (MT) e Sorocaba (SP) também receberam antenas dentro dessa iniciativa do Ministério das Comunicações.

Evento Agroconectado - Londrina, 12/08/2021

Evento Agroconectado – Londrina, 12/08/2021 Foto: José Fernando Ogura/AEN

Durante a atividade, os participantes puderam conhecer soluções em desenvolvimento e iniciativas já disponíveis, impactadas positivamente pela qualidade da conexão 5G no campo. Em uma das demonstrações, um médico veterinário realizou uma consulta digitalizada, utilizando óculos de realidade virtual e conversando, em tempo real, com dois profissionais que estavam em Curitiba para pedir auxílio no atendimento.

Também foi feita uma demonstração da utilização de drones com câmeras de alta resolução para realizar o monitoramento da lavoura de soja, com velocidade e capacidade de transmissão de dados maior por meio da tecnologia 5G.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, esse aumento na precisão é fundamental para a evolução do trabalho no campo.

“O 5G nos permite o ultra refinamento da agricultura de precisão. Isso poupa recursos, permite fazer mais com menos, até mesmo tratar planta por planta quando for necessário”, explicou. “Mesmo o esforço físico, o trabalho penoso, será reduzido, melhorando a qualidade de vida de quem trabalha no campo e também de quem consome essa produção. O futuro está chegando, e que bom que está chegando”.

 

EMBRAPA – A atividade foi realizada na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, e incluiu um circuito em estações para a apresentação de diversas aplicações do 5G no campo, como em máquinas autônomas, segurança patrimonial e monitoramento de pragas da soja, entre outros. Os pilotos envolvem regiões urbanas específicas e áreas rurais que, normalmente, têm conectividade limitada.

No agronegócio, os testes são realizados com a colaboração do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Além de Sercomtel, Nokia e Embrapa Soja, participaram das demonstrações o Senai, Klabin, Cocamar, Cooperativa Integrada, Masterseg e as startups Doroth, Agribela, Alvaz, Trace Pack e E-Aware Technologies.

 

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: