Notícias

Índices de outubro reforçam 2022 como um ano de recordes no agronegócio

A maior parte do mérito desses bons índices está no crescimento do embarque de milho com aumento de 301,7%, em volume.

 

O ano de 2022 registrou recordes no agronegócio impulsionado por números registrados em outubro. As exportações brasileiras alcançaram a cifra de US$ 136,10 bilhões, um aumento de 33% na comparação com o mesmo período em 2021, conforme divulgação do Ministério da Agricultura, com destaque para a exportação de milho. Apenas em outubro, o volume exportado do grão foi de 7,2 milhões de toneladas, 5,4 milhões de toneladas superior ao volume exportado em outubro de 2021.

 

O abate de suínos alcançou o número recorde de 14,45 milhões de cabeças de suínos no terceiro trimestre de 2022. A venda de máquinas agrícolas aumentou 18,5% no acumulado do ano, atingindo 56,246 mil unidades vendidas, segundo dados da Anfavea, e as exportações de máquinas agrícolas bateram alta de 10,2% no ano.

 

O incremento das exportações brasileiras no agronegócio representou 48,5% do total das vendas externas do Brasil no período, segundo dados do Ministério da Agricultura. Em números totais, foram US$ 136,10 bilhões contra US$ 102,35 bilhões exportados no mesmo período em 2021. Só em outubro, as exportações do agronegócio atingiram recorde para o mês de US$ 14,25 bilhões. O valor foi 61,3% superior na comparação com o que foi vendido ao exterior em outubro de 2021. O índice de preço dos produtos exportados também subiu – 16,1% – no período.

 

A maior parte do mérito desses bons índices está no crescimento do embarque de milho com aumento de 301,7%, em volume. Nos dez primeiros meses do ano, o volume total de grãos exportados chegou a 134 milhões de toneladas, equivalente a praticamente metade da safra brasileira de grãos, estimada pela Conab em 270,9 milhões de toneladas (safra 2021/2022). Somente no mês de outubro, o volume exportado foi de 7,2 milhões de toneladas, 5,4 milhões de toneladas superior ao volume exportado em outubro de 2021.

 

Outros setores que brilham na exportação agro também reportaram aumentos em outubro. A soja exportou US$ 3,68 bilhões (+49,6%), com incremento de volume exportado (+27,6%) e dos preços internacionais dos produtos do setor (+17,2%). As vendas de açúcar foram de US$ 1,50 bilhão (+81,1%). O setor de produtos florestais totalizou exportações de US$ 1,45 bilhão (+20,7%). As vendas externas de carnes chegaram a US$ 2,28 bilhões (+50,8%).

 

No segmento pecuário, o Brasil registrou um abate recorde de 14,45 milhões de cabeças de suínos no terceiro trimestre de 2022. Foram 1,33 milhão de toneladas no terceiro trimestre de 2022, um aumento de 4,3% em relação ao terceiro trimestre de 2021. Já a produção bovina teve 7,85 milhões de cabeças abatidas no terceiro trimestre de 2022, uma alta de 11,9% em relação ao terceiro trimestre de 2021. No quesito frangos, a alta na comparação com o terceiro trimestre do ano passado foi mais tímida: 0,9%. As estatísticas foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Em coletiva realizada ontem, 7 de dezembro, o vice-presidente da Anfavea, Alexandre Bernardes, detalhou os dados de outubro 2022. As vendas de máquinas agrícolas, no comparativo com o mesmo mês no ano passado, subiram 9,4%. As exportações de máquinas agrícolas avançaram 44,3% entre setembro e outubro – em comparação a outubro de 2021, houve um aumento de 15,9%. Em relação às máquinas rodoviárias os números de 2022 são bons, mas os números específicos de setembro/outubro não são tão favoráveis.  Houve avanço de 14,5% em relação a outubro de 2021 nas vendas, levando a alta de 19,1% no acumulado do ano, mas houve um recuo nas exportações de máquinas rodoviárias, de 16,2%, entre setembro e outubro.

 

Bernardes apontou que a logística ainda é o entrave que segura a expansão do setor. “Os problemas de logística ainda persistem. Em outubro, empresas que estavam prestes a embarcar produtos em um navio, tiveram problemas: acabou saindo somente no mês subsequente. Empresas também relataram falta de componentes para produção que visava exportação.” No acumulado do ano, as vendas de máquinas rodoviárias acumularam alta de 35,3%, com 35,333 mil unidades.

 

* SNA
Fonte: Ministério da Agricultura, Canal Rural, Estadão Conteúdo

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: