Notícias

Guarapuava, Ponta Grossa, Cascavel e Londrina vão receber caravana da Embrapa

O objetivo é promover o aumento da eficiência de uso dos fertilizantes e insumos no campo e estimular a adoção de novas tecnologias e de boas práticas de manejo

 

 

A então ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e o presidente Celso Moretti, da Embrapa, na manhã da quarta-feira (30),  anunciaram quais serão os 48 polos produtivos por onde passará a Caravana Embrapa FertBrasil, a partir do próximo mês de abril.

 

 

No Paraná, serão quatro cidades que irão receber  a caravana: Londrina, Ponta Grossa, Cascavel e Guarapuava.

 

 

As datas serão definidas pela coordenação da Caravana, e seguirão as épocas de plantio de cada polo e a logística de deslocamento dos pesquisadores que farão as palestras para técnicos e lideranças rurais. A apresentação foi feita remotamente, com a participação de mais de 300 pessoas, pelo canal da Embrapa no Youtube.

 

 

 

A Caravana vai percorrer mais de 40 cidades em 10 macrorregiões brasileiras, com o objetivo de promover o aumento da eficiência de uso dos fertilizantes e insumos no campo e estimular a adoção de novas tecnologias e de boas práticas de manejo de solo, água e plantas. A expectativa é beneficiar mais de 20 mil produtores e oferecer capacitação digital para mais de 10 mil profissionais, com impacto em mais de 70 milhões de hectares de áreas agrícolas.

 

 

 

A ação está dentre as medidas de curto e médio prazo do Plano Nacional de Fertilizantes, lançado neste mês pelo Governo Federal para reduzir a dependência externa por importação de produtos e tecnologias, situação agravada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia.

 

 

 

Para Tereza Cristina, em seu último dia como ocupante do cargo, a importância da Caravana para o enfrentamento do atual cenário mundial reforça a oportunidade de agregar informações ao Observatório da Agricultura. “É a chance para aproveitar tantos profissionais percorrendo o país para que tenhamos mais informações que permitam cruzamentos e projeções relacionadas à safra brasileira, insumos e próximos problemas, para que estejamos sempre à frente do que possa acontecer”, disse ela.

Segundo o presidente Celso Moretti, o momento é de dificuldade relacionado à importação de fertilizantes. “Isso gera uma demanda crescente que já vinha aumentando nos últimos tempos, em função da crise energética da China e do aumento do consumo de fertilizantes no Brasil, da ordem de 10%”, comentou.

 

 

 

“A Embrapa, com a supervisão do Mapa, então, definiu uma ação de curtíssimo prazo, que estamos iniciando agora no mês de abril para contribuir com ações estratégicas em benefício do agro”, disse ele. “Estimamos que o aumento da 10% da eficiência do uso de fertilizantes pode resultar numa economia, segundo nossos cálculos, de até 1 bilhão de dólares na próxima safra, em custos diretos ao produtor rural”, completou.

Tempestade perfeita

 

 

 

Representando o grupo de trabalho que construiu o projeto da Caravana FertBrasil, o pesquisador José Carlos Polidoro, da Embrapa Solos, apresentou informações técnicas sobre a ação. “O cenário é uma tempestade perfeita que vem se formando nos últimos 20 anos no Brasil, em que a demanda aumentou 300% no consumo de fertilizantes – o que é bom -, mas a nossa produção nacional de fertilizantes encolheu 30%, nos levando a importar em 2021, 90% dos fertilizantes usados no país”, comentou.

 

 

 

Ele destacou ainda que as medidas não são reações à pandemia da Covid 19, à crise de abastecimento e ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia. “Nós nos antecipamos a isso”, afirmou.

 

 

A Caravana Embrapa FertBrasil já recebeu um aporte financeiro do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED), no valor de R$ 1,6 milhão de reais. A Rede ILPF, uma das patrocinadoras da Caravana, confirmou o aporte de R$ 250 mil reais para apoiar também a realização dos eventos.

 

 

 

Esta será a segunda caravana itinerante realizada pela Embrapa. Entre 2013 e 2015, a empresa percorreu também os principais polos produtivos do país para divulgar soluções tecnológicas para controlar a lagarta Helicoverpa armigera, praga exótica que invadiu o território brasileiro causando fortes prejuízos para as principais culturas agrícolas.

Planejamento estratégico

 

 

De acordo com Paulo Galerani, coordenador da Caravana Embrapa FertBrasil, as equipes não poderão passar por todas as cidades importantes, por isso, cada polo escolhido terá uma cidade como referência, mas técnicos das outras cidades ao seu entorno serão chamadas para participar.

 

 

“Por exemplo, Santa Maria, no Rio Grande do Sul, vai abrigar o encontro que vai atingir Santa Maria, Cachoeira do Sul, São Gabriel, Bagé, Dom Pedrito, Rosário do Sul, Alegrete, Quaraí, Uruguaiana, Tapes, Camaquã, Jaguarão, São Lourenço do Sul, Arroio Grande, Torres, Santa Vitória do Palmar, Rio Grande, Tramandaí, Osório, Caçapava do Sul, Encruzilhada do Sul e Piratini”, explica Galerani.

 

 

 

Ele também ressalta que as datas dos primeiros roteiros serão divulgadas nos próximos dias, quando todo o planejamento e a logística de deslocamento dos pesquisadores estiverem concluídos. E também frisa que, à medida que novos patrocinadores e apoiadores da ação forem definidos e alocarem mais recursos financeiros, novas localidades poderão ser incluídas no decorrer de toda a Caravana, que será realizada até o final de 2022.

 

 

 

Nosso objetivo é sensibilizar as lideranças ligadas às cadeias produtivas da agropecuária, além de técnicos, consultores e multiplicadores, para que o Brasil possa superar a crise dos fertilizantes por meio de capacitação e troca de conhecimentos sistematizados entre os institutos de pesquisa e o setor produtivo, estabelecendo um diálogo da pesquisa com o agronegócio no Brasil, propondo soluções tecnológicas para cada um desses 48 polos agrícolas”, explicou Celso Moretti, presidente da Embrapa.

 

 

 

Segundo ele, a caravana itinerante vai abordar questões práticas e de impacto imediato, que ao serem adotadas poderão, junto com outras iniciativas do Plano Nacional, promover uma economia de até 20% no uso dos fertilizantes no Brasil, já na safra 2022/23, podendo resultar em até um bilhão de dólares de economia para o produtor rural brasileiro.

 

 

 

As estratégias de manejo de solo e água para o uso racional de fertilizantes serão sistematizadas pela Embrapa em módulos de uma palestra padrão adaptada às diversas condições dos biomas brasileiros, que deverão nivelar e customizar as informações para cada uma das regiões produtoras do país.

 

 

 

Ao final das apresentações em cada polo produtivo será realizado um alinhamento das necessidades de conhecimento tecnológico, seguido de um amplo debate sobre os principais problemas encontrados em cada região. Em algumas regiões será demonstrada ainda, a eficiência de algumas das tecnologias desenvolvidas pela Embrapa por meio de Unidades Demonstrativas de Referência Tecnológica.

 

 

 

As atividades presenciais serão voltadas para técnicos de extensão rural, técnicos de cooperativas, sindicatos e associações rurais, e produtores líderes, pretendendo atingir cerca de 10 mil profissionais, tornando-os multiplicadores das técnicas e orientações repassadas pela equipe de pesquisadores e analistas da Embrapa e parceiros que integrarão cada Caravana.

 

 

 

Após cada passagem da Caravana Embrapa em uma macrorregião agrícola, a Embrapa modulará digitalmente o conhecimento sistematizado para alimentar um hotsite e contribuir para construção de uma ampla plataforma digital de conhecimento sobre o tema, que poderá ser ofertado à multiplicadores de referência, tais como CNA/SENAR, EMATERs e cooperativas agroindustriais.

 

 

 

Essa modelagem da Caravana Embrapa FertBrasil vai envolver capacitações presenciais durante a sua passagem pelas diversas regiões produtoras pelo Brasil, mas estão sendo programadas também capacitações virtuais, pós-caravana, a produtores, lideranças rurais e técnicos, utilizando o sistema e-Campo da Embrapa ou outras ferramentas de treinamento disponíveis.

 

 

A empresa está, neste momento, buscando patrocinadores junto à iniciativa privada e ao setor produtivo para viabilizar esse segundo momento. Interessados em participar da iniciativa podem procurar a área de gestão de pesquisa, via email depd@embrapa.br.

 

 

 

***Embrapa com edição

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: