Notícias

Escolas de Irati são premiadas no projeto Campo Limpo

O projeto é uma iniciativa da Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários dos Campos Gerais (Assocampos) e o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV)

Estudantes das Escolas Rosalina Cordeiro de Araújo, na Vila São João, e Tancredo Martins, no bairro Rio Bonito, foram classificados nas categorias Desenho e Redação

Com trabalhos sobre o tema “Economia Circular”, alunos de duas escolas municipais de Irati foram premiados na fase regional do Programa de Educação Ambiental “Campo Limpo”, uma iniciativa do Sistema Campo Limpo, realizada em parceria entre a Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários dos Campos Gerais (Assocampos) e o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV).

O projeto foi lançado nos Campos Gerais em 2012, porém, a parceria com o município de Irati começou em 2017 e contou com o apoio das secretarias municipais de Educação e de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar.

 

 

Na categoria Desenho, os alunos da Escola Municipal Rosalina Cordeiro de Araújo, Lucas Nathan Cordeiro de Ramos e Andriel de Bonfim, ficaram na segunda e na terceira colocação, respectivamente. Eles foram orientados pelas professoras, Alice Nilma Falat Gelinski e Sônia Maria Derkach.

Na categoria Redação, a estudante Loriane Geniplo Ribas, da Escola Municipal Tancredo Martins, ficou em 3º lugar, sob a coordenação da professora Tatiane Kasprik. Todos os premiados receberam bolsas com materiais escolares, sendo que os primeiros colocados ganharam bolsas personalizadas, notebooks e certificados de premiação; já os segundos lugares receberam, além das bolsas, tablets.

 

 

5° Edição

 

 

A secretária de Educação, Jandira Terezinha Girardi, exaltou a importância do projeto, que está em seu quinto ano de realização em Irati. “É um trabalho muito bom, no qual as crianças atuam para que o meio ambiente se torne melhor, principalmente, no futuro”, frisou.

 

 

Município recebeu maior número de prêmios da região

 

Segundo Jandira, entre os municípios da região, Irati foi o que obteve o maior número de prêmios do projeto nas duas categorias. “Para nós, enquanto Educação, é um ganho, estamos em festa hoje entregando estes prêmios. Quem ganha com isto somos todos nós, que temos a alegria de ver as crianças recebendo prêmios pelos trabalhos que realizam. Os projetos que a Secretaria de Educação abraça e as escolas desenvolvem só têm vida porque as crianças os desenvolvem, juntamente, com suas professoras”, enalteceu e secretária de Educação.

 

 

No total, 11 escolas inscreveram seus alunos dos quartos e quintos anos para participar do projeto. A secretária parabenizou a todos que desenvolveram esta atividade em Irati. “Parabenizo a todas as escolas que participaram e desenvolveram o projeto, pois quem tem a ganhar com isto são os nossos alunos. Parabenizo, em especial, as Escolas Rosalina Cordeiro de Araújo e Tancredo Martins, pela dedicação dos alunos e das professoras e pela premiação”, comentou Jandira.

 

 

Elza Valenga, diretora da Escola Rosalina Cordeiro de Araújo, ressaltou que a instituição participa, todos os anos, do projeto com as cinco turmas dos quartos e quintos anos. No total, cerca de 100 alunos da escola participaram do projeto neste ano. Para ela, os conteúdos serem voltados para a preservação do meio ambiente são mais importante que a premiação.

“As crianças aprendem, desde pequenas, a cuidar, corretamente, do nosso meio ambiente, o que é muito importante. É claro que temos a alegria de termos, pela primeira vez, no Campo Limpo, alunos premiados de nossa escola, e dois ainda, segundo e terceiro lugares”. A diretora aponta que os resultados servem de motivação para que, nos próximos anos, os alunos participem com mais dedicação na produção de textos e desenhos.

 

 

Sônia Terezinha Piekarski Zanlorenzi, diretora da Escola Municipal Tancredo Martins, ressaltou a alegria por conta da seleção do trabalho de Loriane no projeto Campo Limpo. “Para nós, é muito gratificante ver que, mesmo neste período de pandemia, com ensino à distância, teve um resultado positivo do trabalho da professora junto à aluna com as produções destes textos. Foram vários materiais muito bem feitos, a escola fez uma pré-seleção, contando com o apoio dos outros professores na análise dos trabalhos. O quarto ano também participou com a produção de desenhos com o mesmo tema. Acredito que esta premiação vai ser muito significativa para a vida da aluna, que tem uma realidade na qual a família faz uma reciclagem, uma condição socioeconômica, então ela colocou neste texto a situação de vida deles”, comentou Sônia.

 

 

A coordenadora pedagógica, Deise Zene, que também atua no Tancredo Martins, destaca que esta premiação representa o reconhecimento do trabalho realizado desde a Educação Infantil. “A nossa escola está mostrando que ela tem condições de formar alunos com bom nível em texto, pois o terceiro lugar, entre 3.300 textos, nos deixa bastante felizes. Isto vai servir de incentivo nos próximos anos neste programa, que aborda temas pertinentes ao meio ambiente e à sustentabilidade, e que devem estar dentro das escolas para que as crianças consigam, na sua vida, fazer uma transformação e repensar suas atitudes. Pedimos que, nos próximos anos, sejamos merecedores desta conquista. É motivo de alegria pelo reconhecimento do processo de ensino-aprendizagem e pela superação desta criança, que vem de uma dificuldade social e conquistou este espaço que vai servir como um incentivo para a vida dela”.

 

Projeto Campo Limpo estimula a preservação ambiental

 

 

Luiz Fernando de Abreu Marion, coordenador de centrais do InpEV e responsável técnico da Assocampos, ressaltou que o projeto visa trabalhar conceitos da Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Nós buscamos plantar aquela sementinha na cabeça da criança sobre os conceitos de sustentabilidade e preservação do meio ambiente, repensar a utilização de produtos, compra e descarte de materiais”, disse Marion, justificando o tema Economia Circular, escolhido neste ano.

 

 

Marion destaca que a adesão ao programa é facultativa. “Nós buscamos nos reunir com as secretarias municipais de Educação, previamente. No momento das inscrições, apresentamos as ementas e propostas. É um trabalho aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), as propostas de atividades já vêm com os códigos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o que auxilia muito os professores a montarem seus planos de aula, culminando em desenvolvimento e buscando levar ao conhecimento da criança os conceitos de economia circular, de sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Ao término, procuramos medir a assimilação das crianças com um concurso de desenho para os quartos anos e de redação para os quintos anos”, explica o coordenador InpEV.

 

 

Ele considera que a apresentação dos trabalhos foi um sucesso, especialmente, por conta do momento de pandemia e das aulas remotas. “Todo o nosso material foi preparado e readequado para apoiar os professores em seu trabalho remoto ou presencial, ou seja, híbrido, e temos certeza de que isto foi um sucesso”. Marion finaliza enaltecendo que o reflexo desta adaptação está no bom resultado dos trabalhos que foram desenvolvidos.

 

 

Fonte: Assessoria Pref. de Irati

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: