Notícias

Erva-mate: App criado por alunos da Unicentro conecta cadeia produtiva

A ideia, que foi vencedora do prêmio Inova Território, foi desenvolvida a partir da demanda levantada junto aos produtores rurais de erva-mate e as indústrias da região

 

Conectar a cadeia produtiva da erva-mate por meio de um aplicativo. Com essa proposta, acadêmicos do curso de Engenharia Florestal, professores da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) e da Incubadora de Negócios Irati (Ineti) levaram o prêmio Inova Território – Pinheirais de 2022. A premiação é a última etapa do evento promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/PR) para estimular a cultura empreendedora e inovadora na região Centro-Sul do estado.

 

Entre setembro e dezembro do ano passado, as equipes participantes foram preparadas, por meio de workshops e o acompanhamento de mentores, para desenvolver soluções de negócios a serem apresentadas a uma banca avaliadora, formada por consultores do Sebrae e empresários. Como explica José Ruiter Júnior, head de Ecossistemas de Inovação do Sebrae/PR, o projeto é uma trilha “mão na massa”, com metodologia criada, executada e validada pela instituição, tendo como público-alvo estudantes de escolas técnicas, institutos federais, universidades e escolas da rede pública e privada, além de empreendedores e pessoas da comunidade que queiram trabalhar com inovação e tecnologia.

 

“Foram cinco workshops que trataram de temas como qual é a diferença de uma Startup para uma empresa tradicional, falando sobre metodologias específicas para desenvolvimento de ideias como design thinking e sobre a criação do mínimo produto viável (MVP), assim como dos protótipos que surgem em razão dele. Além disso, a gente trabalhou com o pessoal o pitch, que é uma apresentação resumida para a venda do produto que eles construíram durante as outras etapas. Nessa edição participaram cinco equipes e ao final dessa trilha a campeã foi a equipe da Unicentro”, destaca Ruiter.

 

A professora do Departamento de Engenharia Florestal da Unicentro, Daniele Ukan, conta que a ideia premiada foi desenvolvida a partir da demanda levantada junto aos produtores rurais de erva-mate e as indústrias da região que afirmaram existir dificuldades nas negociações e na busca por matéria-prima para geração dos produtos. “O aplicativo é uma ferramenta que visa conectar o produtor de insumo com o ervateiro, que está no campo plantando as mudas, conduzindo a floresta, até a indústria que vai processar esse produto final”, descreve.

 

O professor Diogo Fernandes, diretor da Incubadora de Negócios Irati, reforça a importância da universidade estar aliada a uma instituição como a Ineti, para ser cada vez mais um lugar que pensa em empreendedorismo, em inovação e que desenvolve tecnologias. Segundo ele, essa parceria permitiu a criação de um aplicativo pronto para uso, o Dumatte, que já tem os primeiros produtores cadastrados.

 

“Com toda essa experiência que a gente tem na incubadora, que está dentro da Unicentro, foi possível entregar algo mais concreto, algo que já estava rodando. Isso é fundamental porque não é só uma ideia que foi apresentada para uma banca, mas para uma comunidade, que começa a ver a universidade como uma instituição de ponta no ramo da inovação. Para a Ineti, essa premiação demonstra que nós estamos no caminho certo, que as ações, os conhecimentos, as tecnologias e as técnicas que nós utilizamos trazem resultado”, enfatiza o docente.

 

Um dos alunos de Engenharia Florestal participantes do projeto, Renato Ribeiro Junior relata que as oficinas de preparação mudaram a maneira dele pensar sobre como é criar uma empresa, como é inserir um produto no mercado ou até a forma de se apresentar esse produto.

 

“Eu aprendi também que nenhuma ideia é ruim do ponto de vista profissional. Ela apenas precisa ser moldada para atender a um público-alvo, ela precisa ser bem pensada e trabalhada, para ser direcionada a eles. Por isso, acredito que o nosso produto vai mudar um pouco a perspectiva sobre esse mercado da erva-mate, que hoje é muito informal, e que o aplicativo pode ser muito útil, principalmente ao pequeno produtor, que tem necessidade dessa informação, dessa atenção”, complementa o acadêmico.

 

Para a professora Daniele Ukan, participar do Inova Território – Pinheirais permitiu demonstrar o papel da universidade no âmbito da extensão rural, unindo a inovação à tradição de uma cultura regional tão relevante na história do Paraná. “A importância do prêmio também é por essa retomada em investimento em inovação no que cabe o resgate econômico, social e cultural do cultivo da erva-mate”, concluiu.

 

*Coorc Unicentro

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: