Notícias

Embrapa Gado de Leite e Cemig concluem ações de eficiência energética

O objetivo do Programa é modernizar os sistemas de iluminação, ar condicionado e aquecimento solar

Nesta semana, foram concluídas as obras do Programa de Eficiência Energética na sede da Embrapa Gado de Leite e no Campo Experimental José Henrique Bruschi. O objetivo do Programa é modernizar os sistemas de iluminação, ar condicionado e aquecimento solar, melhorando a iluminação interna e externa, além de gerar uma economia de aproximadamente R$ 250.000,00 por ano em consumo de energia. Foram investidos na sede da unidade aproximadamente R$ 400.000,00 e no Campo Experimental, cerca de R$ 600.000,00. Ao todo, 3.063 lâmpadas e 18 equipamentos de condicionamento de ar, além de placas fotovoltaicas, foram substituídas por tecnologias mais eficientes. A economia em geração de energia corresponde a 413,47 MWh/ano.

Segundo Paulo do Carmo Martins, chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, os recursos para modernização do sistema totalizaram R$ 1 milhão e foram oriundos do Programa de Eficiência Energética, da Cemig. A Embrapa Gado de Leite apresentou dois projetos ao Programa, ambos aprovados em um total de 14 projetos submetidos à Cemig. O edital para apoio a esse tipo de projeto é uma exigência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “Além da economia proporcionada, obtivemos uma sensível melhora na iluminação externa e interna”, afirma Martins.

O empregado Victor Lucio, do Setor de Infraestrutura e Logística da Embrapa, participou da elaboração dos projetos, realizado por uma empresa de consultoria. “Quando se fala em redução de custo de energia elétrica, logo se pensa na implementação de um sistema fotovoltaico (energia solar), mas em conjunto com a empresa de consultoria, decidimos que seria um passo muito grande para ser dado logo de início, o que aumentaria muito o custo do investimento, inviabilizando a aprovação do projeto”. Segundo ele, com a questão da iluminação e da refrigeração equacionadas, pode-se pensar, futuramente, na implantação do sistema de energia solar.

Eduardo Alves, chefe-ajunto de Administração da unidade, reforça que a eficiência energética é um dos grandes pilares estratégicos das principais organizações e da produção agrícola. “Buscamos encontrar o equilíbrio entre o suprimento das nossas necessidades e o uso racional de energia por meio da otimização energética dos equipamentos. Acreditamos, assim, estar contribuindo tanto para a economia de recursos públicos como para a sustentabilidade ambiental”, conclui.

Fonte: Embrapa

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: