Notícias

Em março, Irati exportou 222 mil quilos de erva-mate, e São Mateus do Sul, 206 mil quilos

Informação foi um dos destaques da live do AgroRegional Entrevista, com a professora Daniele Ukan; veja outros dados sobre a região

Produção de Erva Mate em São Mateus do Sul. Foto: José Fernando Ogura/ANPr – 01/2019

 

Retomando as entrevistas em live, o Boletim AgroRegional conversou com a professora Daniele Ukan, do Departamento de Engenharia Florestal da Unicentro, Campus de Irati. A docente realiza pesquisas sobre a cadeia produtiva da erva-mate na região.

 

Veja a live completa. Clique aqui. 

 

Durante a participação, Daniele apresentou dados sobre a cultura na região, destacando os custos de produção, a importância da erva-mate para comunidades tradicionais, além de comentar sobre um evento voltado para a cultura que ocorrerá em dezembro.

 

A professora Daniele Ukan, durante participação no AgroRegional Entrevista. Foto: Reprodução

 

O Paraná é hoje o maior produtor de erva-mate do País, com produção de 426 mil toneladas no último ano (2020). A nível municipal, os 10 municípios com maior produção também são do Estado. Cruz Machado, por exemplo, detém a maior produção nacional, com 15,5%.

 

Exportações

 

Em relação às exportações de municípios da região, o destaque é para Irati e São Mateus do Sul. Os dados são referentes às exportações brasileiras de erva-mate do mês de março de 2020/21.

 

Irati, por exemplo, exportou 222.000 kg de erva mate para a Argentina, num montante de 260 mil dólares, com preço médio de 1,17 dólares por quilo. São Mateus do Sul exportou 206.000 kg para a Alemanha, Uruguai, Turquia, Espanha, Chile, Equador, Argentina e EUA, num montante de  475 mil dólares, com preço médio de 2,3 dólares por quilo.

 

Conforme Daniele, o custo de produção está em torno de R$ 5,00, um valor alto em relação ao baixo valor de venda.

 

Comunidades

 

A professora Daniela comentou também sobre a importância que a erva-mate tem para as comunidades tradicionais. Segundo ela, o manejo de ervais permite a utilização mais eficiente dos recursos naturais na propriedade.

 

“Esse manejo da erva mate nativa que é o que a gente tem na região, ela representa um dos sistemas agroflorestais dos mais antigos que a gente tem, principalmente na região Sul”, comenta, citando que o manejo da erva representa uma alternativa de diversificação da produção, da renda e uma redução dos riscos na produção

 

Entre as perspectivas de produção, a erva-mate pode ser utilizada também para intensificar o uso da reserva legal como área de conservação principalmente nas regiões Sul e Centro-Sul do Estado, onde predominam os ervais nativos e plantados.

 

10º Fórum Institucional – Cadeia produtiva da erva-mate sombreada

 

Irati recebe em dezembro um evento direcionado à erva-mate, organizado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – IDR/PR, junto com a Unicentro, Embrapa Florestas, o Invest Paraná e a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab).

 

O objetivo do Fórum é proporcionar a integração de entidades do setor ervateiro para a busca de novos mercados e inovação em produtos, além de garantir sustentabilidade econômica, ambiental e social, mediante a organização da cadeia produtiva e certificação da qualidade do produto no estado.

 

SERVIÇO

 

10º Fórum Institucional – Cadeia produtiva da erva-mate sombreada

Local: Anfiteatro da Unicentro – Campus Irati

Data: 16 de dezembro de 2021

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: