Notícias

Em live, perspectivas para a safra 2021/22 entram em debate

O analista de mercado Paulo Molinari participou da live e tratou de temas centrais para a safra e para os produtores rurais paranaenses

As perspectivas para o ano safra 2021/22 entraram em debate, nesta quarta-feira (1º), em uma transmissão ao vivo promovida pelo Sistema FAEP/SENAR-PR.

O analista de mercado Paulo Molinari, da consultoria Safras & Mercado, tratou de temas centrais para os produtores rurais paranaenses tomarem suas decisões nos próximos meses. Estratégias de comercialização, tendências de câmbio foram alguns dos assuntos debatidos o evento.

Além disso,  foram debatidos temas como previsões climáticas e conjuntura política. A live foi acompanhado por agricultores e pecuaristas de todas as regiões do Estado.

“Estamos em um momento decisivo para a safra que começa agora. Os custos de produção estão altíssimos, a situação em Brasília está preocupante com essa confusão institucional entre os poderes e temos que fazer tudo o que está ao nosso alcance para nos prevenirmos”, analisou o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette.

De acordo com ele, informação, para os produtores rurais, é o insumo mais importante para saber analisar os custos e traçar estratégias para aproveitar as melhores oportunidades.

Pontos de atenção

Conforme Paulo Molinari, os aspectos climáticos, cambiais, rentabilidade, preços das commodities agrícolas e estratégia de comercialização são os pontos de atenção no momento.

Em relação ao clima, o risco está em relação à ocorrência do fenômeno La Niña (esfriamento anormal das águas do Oceano Pacífico), que costuma reduzir a incidência de chuvas no Sul do Brasil. “Ainda não está configurado, mas tudo indica que essa será a tendência até o fim do ano”, prevê.

Sobre o câmbio, Molinari colocou a realização das eleições em meio à crise institucional entre Executivo, Legislativo e Judiciário em Brasília como um fator primordial a ser observado.

“A eleição de 2022, talvez, seja a mais difícil das nossas vidas. Por maiores que sejam os protestos no dia 7 de setembro, seria ingenuidade acreditar que os três poderes darão as mãos e andarão juntos até o ano que vem. Vamos ter um ano eleitoral possivelmente difícil e isso mexe com moedas”, antecipou.

Outro ponto central na palestra e Molinari foi a questão da rentabilidade, já que os custos de produção com fertilizantes e químicos, especialmente, estão elevados.

“Nesse sentido, minha recomendação é que o produtor aproveite os bons preços e trave pelo menos os custos de produção. Muitos produtores já perderam a melhor oportunidade de preço. Não vá de peito aberto para 2022 porque podemos ter surpresas relativamente negativas no ano que vem”, recomendou.

Veja a live completa clicando aqui.

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: