Notícias

Digital Agro discute tecnologia e inovação aplicadas ao agronegócio

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, foram alguns dos participantes do Digital Agro 2021. O evento é um dos mais importantes relacionados à tecnologia e inovação no agronegócio. A programação se estende até quinta-feira (15).

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, foram alguns dos participantes do Digital Agro 2021, na noite desta segunda-feira (21). O evento, promovido pela Cooperativa Agroindustrial Frísia, é um dos mais importantes relacionados à tecnologia e inovação no agronegócio. A programação se estende até quinta-feira (15).

“Cada vez mais nosso agronegócio tem saído da enxada para entrar nos tablets, smartphones e aplicativos que ajudam na agricultura de precisão”, disse o governador. Ele reforçou a união do agronegócio paranaense com a preservação do meio ambiente e com a inovação acentuou que a agricultura paranaense, principal pilar econômico do Estado, consegue unir produtividade, digitalização, inovação, eficiência e desenvolvimento sustentável, se destacando como um exemplo mundial.

“A digitalização vem para trazer cada vez mais precisão a essa agricultura moderna. Uma feira como essa é importante para fazer com que o Brasil continue sendo pioneiro e dispute mercados em grau de igualdade com países que há dez anos protagonizavam a produção de alimentos no mundo. E com muito orgulho falo do Paraná hoje é referência global em quantidade e variedade”, disse Ratinho Junior.

A programação do evento, que inclui palestras e debates com especialistas, é dividida em cinco pilares temáticos: tecnologias para produção sustentável, futuro dos alimentos, o futuro da gestão no campo, inovação no agronegócio e pecuária 4.0. Esta é a primeira vez que a feira é realizada de forma inteiramente digital.

Secretário SEAB – PR
Foto: Jonathan Campos/AEN

INOVAÇÃO – O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, comentou que os ganhos de produção e rentabilidade vistos no Paraná nas últimas décadas são consequência do aumento da produtividade, ao invés da incorporação de novas áreas, provando que é possível especializar cada vez mais as fazendas.

“Isso nos leva a um aumento da sustentabilidade, a palavra-chave do momento”, explicou. “Inovação, sustentabilidade e competitividade andam juntas. É notório que o desempenho do agronegócio tem por âncora a incorporação desses fatores, com ganho expressivo de tecnologia. Estamos conseguindo produzir mais, com menos área, reduzindo custos, fazendo mais e melhor com menos recursos”.

Segundo ele, fator que ajudou a transformar o Estado em líder nacional. “Somos os principais produtores ou exportadores de café, açúcar, soja, frango, suínos, tabaco, entre muitos outros produtos. Estamos presentes em mais de 140 países ajudando a alimentar quase 1,5 bilhão de pessoas”, acrescentou o secretário.

Ortigara complementou que a tecnologia, mote do Digital Agro 2021, é um dos quatro pilares que sustentam o que ele definiu como uma revolução agrícola. Dentre os exemplos possíveis de serem aplicados em curto prazo no Estado estão bioinsumos, genética genômica, agricultura de precisão e automação.

FUTURO – “É um evento que nos faz pensar como podemos criar uma agropecuária cada vez mais sustentável. Precisamos, através das nossas ações de hoje, entregarmos uma agropecuária melhor para gerações futuras. E isso acontece com tecnologia, conhecimento e transformação digital, fazendo a agricultura brasileira ser competitiva respeitando o meio ambiente”, afirmou o diretor-presidente da Frísia, Renato Greidanus.

Leandro Moura, presidente da Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná), destacou que a digitalização é fundamental para potencializar esse caminho em prol da produtividade. A instituição é responsável pelo desenvolvimento de sistemas de tecnologia em parceria com a Secretaria da Agricultura, o que ajuda a criar a infraestrutura digital necessária para os processos básicos de inovação.

O presidente também adiantou que a companhia tem investido em duas fortes tendências tecnológicas. “Estamos trabalhando na área de inteligência artificial, desenvolvendo parcerias com universidades e cooperativas para melhorar a organização das informações dessas instituições”, relatou. “Além disso, criamos um setor de internet das coisas (IoT). Estamos na iminência da chegada do 5G no País, e queremos estar preparados para quando esse momento chegar”.

LIVRE DE AFTOSA – As autoridades paranaenses também reforçaram, durante o evento, o importante título conquistado pelo Paraná em maio de 2021: o selo de área livre de aftosa sem vacinação, concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

O reconhecimento internacional, buscado pelo Paraná há mais de 50 anos, funciona como um aval sanitário, validando o controle veterinário da região. Com isso, o selo abre novos mercados para a exportação de carne e outros produtos de origem animal.

“Essa conquista coloca o Paraná em um dos maiores graus de sanidade animal no mundo, abrindo uma enorme oportunidade de fazer crescer nosso produto – nosso frango, nossa carne suína, nosso peixe, que tem ganhado os mercados americano e europeu”, pontuou o governador.

PRESENÇAS – Também participaram da abertura do evento o secretário de empreendedorismo e inovação no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim; o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil, Marcio Lopes de Freitas; o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken; e o gerente técnico da Fundação ABC, Luis Henrique Penckowski.


As informações são da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: