Notícias

Chuvas e aumento da lavoura impulsionam mercado de defensivos para soja

Área tratada com agroquímicos para a soja deve crescer 7,72% na safra 2020/21, para 933,05 milhões de hectares

O excesso de chuvas de verão aumentou a incidência de doenças, como a ferrugem asiática, nas lavouras de soja do Brasil, aumentando custos com defensivos, enquanto a indústria de pesticidas obtém ganhos também diante do crescimento da área plantada.
Estimativas do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg) fornecidas à Reuters indicam que a área tratada com agroquímicos para a soja deve crescer 7,72% na safra 2020/21, para 933,05 milhões de hectares. O desempenho é puxado pelo segmento de fungicidas, produto utilizado para combater principalmente a ferrugem asiática, que está exigindo mais aplicações. Essas serão realizadas em 205,05 milhões de hectares, alta de mais 10,64%.

pulverização

defensivos de soja

A área tratada considera o total de vezes que a cultura recebe o pesticida, e por isso supera, por exemplo, a área plantada, estimada em 38,5 milhões de hectares no caso da soja. Além disso, o plantio da oleaginosa cresceu mais de 4% em 2020/21.
“Essa safra agora foi de muita chuva e em termos de doença isso aumenta a incidência, não há dúvida. No caso da soja, a principal é a ferrugem”, afirmou o diretor do Sindiveg e presidente da UPL Brasil, Fabio Torretta. Ele disse que a doença mancha alvo também começou a chamar a atenção, exigindo um cuidado sanitário maior. Ela se propaga nos sistemas de plantio direto, em restos da soja que permanecem durante a semeadura do algodão na segunda safra.
“Provavelmente, vem um aumento de custo (para o produtor)”, alertou. Para controle da ferrugem, Torretta acredita que os produtores estão realizando de três a quatro aplicações de defensivos no solo, sendo a quarta uma aplicação adicional, mas que está sendo feita “porque os preços da soja estão muito bons”.
“O produtor brasileiro está investindo em tecnologia, em produtividade e está enfrentando”, acrescentou. Como consequência, houve um aumento no volume de vendas e na área tratada com agroquímicos, embora os preços dos produtos em dólar tenham recuado. Segundo dados do Sindiveg, o valor de mercado dos produtos para soja na safra 2020/21 está estimado em 5,527 bilhões de dólares, ante 6,609 bilhões vistos no ciclo anterior.
Sozinhos, os fungicidas devem responder por 2,351 bilhões de dólares na temporada atual, versus 2,786 bilhões em 2019/20. Já com a conversão cambial, os números são crescentes. O valor total de mercado para soja sai de 27,24 bilhões de reais na safra passada para 29,83 bilhões.
Nos fungicidas, estima-se que vá de 11,48 bilhões em 2019/20, para 12,69 bilhões nesta temporada.

Fonte: Reuters

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: