Notícias

Banco do Agricultor ultrapassa R$ 300 milhões em financiamentos de projetos sustentáveis no campo

Governo do Estado investiu quase R$ 95,8 milhões para equalização dos juros nos projetos já formalizados por produtores rurais. Maior volume é a linha de energia renovável, que já alcança R$ 243 milhões.

 

O Banco do Agricultor Paranaense já possibilitou o financiamento de R$ 301,7 milhões desde abril de 2021, quando começou a apoiar os produtores rurais do Estado com equalização da taxa de juros. Os recursos foram utilizados para viabilizar 2.075 projetos em diversas atividades do setor agropecuário.

 

Para garantir taxas de juros menores aos produtores e, em alguns casos, zerar a alíquota, até agora o Estado investiu mais de R$ 95,8 milhões.

 

“O Estado entende que esse programa é importante para propiciar que o agricultor melhore os processos produtivos, tenha menores custos na propriedade e, assim, aumente a escala e a eficiência, apropriando-se de todas as vantagens que um bom investimento traz”, disse o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

 

“Em razão disso, desde que o programa iniciou, o governo nunca deixou de colocar recursos no Fundo de Desenvolvimento Econômico, administrado pela Fomento Paraná, com vistas a facilitar o aceite dos projetos pelas instituições financeiras, que são parceiras do negócio”, complementou.

 

O maior volume em financiamento refere-se à linha de energia renovável, que alcançou, até o início de dezembro, R$ 243 milhões. São beneficiados 1.447 projetos. Para incentivar a adoção de fonte energética mais sustentável, o governo decidiu assumir 100% dos juros nos projetos. Dessa forma, foram investidos pelo Estado R$ 85,8 milhões, liberando os agricultores do pagamento das taxas de juros.

 

A linha destinada à pecuária leiteira é a segunda em volume de financiamento, com R$ 39,5 milhões em 505 projetos. Com equalização de até 3 pontos percentuais ao ano para agricultores familiares com declaração de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), localizados em municípios com IDH abaixo da média estadual, e de 2 pontos percentuais para os residentes em outros municípios, o volume investido pelo Estado foi de R$ 4,7 milhões.

 

Na irrigação, em que o Estado também optou por bancar 100% da taxa de juros, o financiamento total foi de R$ 15,5 milhões, contemplando 103 projetos. Ao governo coube o investimento de R$ 4,8 milhões para equalizar os juros.

 

A linha, que apoia cadeias produtivas da seda, café, olericultura, floricultura, fruticultura e sistemas de produção orgânica e agroecológica, já concedeu R$ 3,8 milhões em financiamento de 67 projetos. O investimento estadual foi de R$ 509,4 mil.

 

MAIS LINHAS

 

Cooperativas da agricultura familiar protocolaram dois projetos no Banco Regional de Desenvolvimento Econômico (BRDE), que também é parceiro do projeto, no valor de R$ 1,8 milhão. O investimento estadual para equalização de juros foi de R$ 150,3 mil. A linha de piscicultura aparece como a sexta em volume de recursos, com R$ 1,4 milhão financiados em nove projetos. O Estado participou com R$ 283,8 mil.

 

Até 2 de dezembro, seis projetos de investimento em produção de pinhão e erva-mate tinham recebido financiamento de R$ 172 mil. O Estado investiu R$ 35,6 mil para equalizar até 3 pontos percentuais ao ano para agricultores familiares com declaração de aptidão ao Pronaf (Programa Nacional da Agricutura Familiar), localizados em municípios com IDH abaixo da média estadual, e de 2 pontos percentuais para os residentes em outros municípios.

 

A produção, captação e preservação de água teve dois projetos aprovados para financiamento no valor de R$ 87,1 mil, com participação de R$ 8,9 mil por parte do Estado. Por fim, para um projeto de agroindústria foram liberados R$ 78,4 mil. O Estado investiu R$ 12,5 mil para a equalização da taxa de juros.

 

RENOVAPR

 

Desde agosto de 2021, o Estado desenvolve o programa Paraná Energia Rural Renovável (RenovaPR), por meio do qual empresas credenciadas pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) se responsabilizam por preparar projetos técnicos, instalar e prestar assistência em sistemas de geração de energia solar fotovoltaica e de biogás/biometano em ambientes rurais.

 

O objetivo do Governo do Paraná é constituir políticas públicas que ajudem os produtores rurais de distintas cadeias produtivas na viabilidade e competitividade de seus negócios. O RenovaPR cumpre essa função ao possibilitar que agricultores e empresas rurais promovam a autoprodução de energia renovável, com possibilidade de reduzir custos de produção e ampliar suas atividades.

 

Ao mesmo tempo, podem tratar dejetos animais e resíduos agrícolas e agroindustriais, dando-lhes a correta destinação e a adequação ambiental das suas atividades. Dessa forma, contribuem na orientação do agro paranaense em direção à sustentabilidade e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

COMO FAZER

 

Para manifestar o interesse em aderir ao programa os produtores dirigem-se à unidade municipal do IDR-Paraná mais próxima de sua propriedade. É onde opta, entre as empresas homologadas – atualmente há 585 para energia solar e 18 para biogás/biometano – quem melhor atende seus objetivos.

 

Até meados de dezembro, o IDR-Paraná havia acatado 5.328 projetos. Se todos se concretizarem, o montante de investimento ultrapassará R$ 1 bilhão. Caso pretenda aproveitar os benefícios do Banco do Agricultor Paranaense, o produtor deve procurar também o agente financeiro credenciado a esse programa.

 

*AEN-PR

Comentários

Quer ficar por dentro de todas as notícias? Entre no nosso grupo do whatsapp: