Paraná registra redução de crimes no meio rural

A mobilização construída no campo em prol da segurança rural tem surtido efeito. De acordo com dados da Polícia Militar do Paraná (PM-PR), houve redução de 18% nos furtos e de 4,3% nos roubos em 2023 na comparação com 2022. Além disso, nos primeiros três meses daquele ano, os crimes contra a vida caíram 23%, os roubos em ambiente rural reduziram 30% e os furtos de veículos diminuíram 50%, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Os resultados positivos têm a contribuição do trabalho conjunto da PM-PR, Sistema FAEP/SENAR-PR, sindicatos e produtores rurais. Esse esforço coletivo em torno da criação e manutenção da Patrulha Rural e o incentivo à formação de uma nova cultura de prevenção têm avançado pelas regiões agropecuárias do Estado.

“A segurança no campo sempre foi nossa preocupação, tanto que trabalhamos ativamente com o que está ao nosso alcance para contribuir com a redução da violência no campo”, aponta Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR.

Frequentemente, a entidade e a Polícia Militar têm realizado reuniões pelos sindicatos rurais, com o objetivo de aproximar a patrulha dos produtores e as comunidades, além de incentivar o cadastramento de propriedades. “Nos encontros, os agentes da PM ouvem as dificuldades dos produtores rurais e estabelecem canais e estratégias de contatos. Os relatos são de que isso tem facilitado a comunicação entre as forças de segurança e as comunidades rurais”, detalha Edivânia Picolo, técnica do Departamento Jurídico do Sistema FAEP/SENAR-PR.

Para o capitão da PM Íncare Correa de Jesus, chefe da Coordenadoria de Patrulha Rural Comunitária, o engajamento dos produtores rurais com os conselhos de segurança municipais e regionais tem contribuído para a construção coletiva da segurança pública nas comunidades. “O foco principal desse trabalho preventivo é auxiliar e orientar o produtor para que saiba como agir caso venha a se tornar uma vítima em potencial, principalmente nesses crimes contra o patrimônio, os mais comuns no campo. A evolução do programa tem sido constante no Estado”, aponta.

Cadastro

Uma das estratégias para uma segurança pública robusta no campo tem sido o cadastro de propriedades rurais. Com detalhes das edificações, atividades, geolocalização, entre outras informações, a PM consegue promover reações rápidas diante das ocorrências. Até o momento, 11 mil propriedades estão cadastradas no Paraná.

A PM tem incentivado os sindicatos rurais a acionarem seus associados para que deixem o cadastro atualizado. A indicação é de que seja colocada uma placa de identificação na propriedade, com um número para cada local, para auxiliar a comunidade na hora de relatar ocorrências.

“Temos feito cadastros também em feiras agropecuárias. Na ExpoLondrina, em abril, nosso estande teve 120 visitações de produtores rurais. Nossa intenção é levar esse modelo para outros eventos do setor”, projeta o capitão.

O Centro de Treinamento Agropecuário (CTA) do Sistema FAEP/SENAR-PR em Ibiporã colocou a placa de identificação de que a área é monitorada pela Patrulha Rural Comunitária. Há ainda o símbolo da PM, um telefone de contato, os números de telefone das autoridades policiais, um QR Code e a identificação numérica da propriedade.

Registro de BO

Outra orientação de segurança que vale tanto para a cidade quanto para o campo é o registro do Boletim de Ocorrência (BO). Essa ferramenta permite a sistematização de dados estatísticos e, consequentemente, que a Polícia Militar desenvolva estratégias de combate ao crime. O registro de BO colabora com informações que auxiliam a polícia até mesmo no planejamento de suas operações de combate à criminalidade no território estadual.

*Sistema Faep com edição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *