Lavouras de feijão sofrem com doenças ocasionadas pelo calor no PR

A colheita de feijão evoluiu, mas as condições das lavouras colhidas não eram ideais e muitas lavouras a campo começaram a apresentar problemas. Nesta última semana a colheita chegou a 34% da área estimada em 402 mil hectares, um avanço de 18 pontos percentuais sobre os 16% identificados na semana anterior. As informações foram publicadas pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) no Boletim Semanal da Conjuntura da Agropecuária Paranaense.

Esta colheita aconteceu principalmente na região Sudoeste, maior região produtora e uma das únicas regiões paranaenses onde foi registrado excesso de chuvas nas últimas semanas. Essas precipitações excessivas têm gerado brotamento de grãos ainda nas vagens e prejudicado, especialmente, a qualidade do produto obtido.  

Em relação às lavouras que ainda estão a campo, as condições pioraram bastante depois da estimativa de safra referente a abril. Na semana de divulgação da estimativa, 72% das lavouras apresentavam condições boas, enquanto 22% médias e 6% ruins, com potencial de gerar uma safra de 774 mil toneladas. 

Atualmente, as lavouras boas recuaram para 58%, e as médias e ruins correspondem a 28% e 14% da área, respectivamente. Essa piora registrada diz respeito tanto às doenças ocasionadas pelo calor e umidade, como em relação à infestação de mosca branca, especialmente em municípios mais quentes.

*Redação/Seab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *