Sicredi lança relatório “Sondagem de Safras”

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com presença em todo o país, acaba de lançar o Relatório “Sondagem de Safras” que projeta indicadores das safras de milho, soja e trigo. Segunda maior financiador do agro nacional e com agências em mais de duas mil cidades brasileiras, a instituição utiliza como insumos informações geradas por colaboradores especialistas em agronegócio que trabalham no atendimento aos produtores para capturar dados sobre a safra.

O estudo que será atualizado mensalmente, pode ser acessado gratuitamente no endereço Análises Econômicas e Financeiras | Sicredi

O objetivo principal da iniciativa é contribuir com a cadeia do agro ao gerar indicadores que possibilitam uma visão nacional a partir da expertise local da companhia. “Nós temos um interesse muito grande em dar suporte às atividades econômicas e uma ligação bastante próxima com o agronegócio brasileiro e entendemos que, além do crédito e outras soluções financeiras, poderíamos contribuir por meio de disponibilização de informações de qualidade aos produtores”, explica André Nunes de Nunes, economista-chefe do Sicredi. 

No documento estão disponíveis indicadores importantes como área plantada, produtividade, produção, plantio, colheita e condições das lavouras das principais culturas do país, contribuindo para o desenvolvimento local. 

Metodologia  

Um conjunto de colaboradores com alta expertise no agronegócio responde, com base na situação das lavouras de sua região, quinzenalmente a um questionário elaborado pela Gerência de Análise Econômica (GAE) do Banco Cooperativo Sicredi que fica responsável pelo refinamento e tratamento dos dados. Todas as perguntas são relativas ao período de coleta.  

A qualidade das lavouras é segmentada em boa, média e ruim. Os progressos do plantio e da colheita são informados em termos percentuais e comparados à média das últimas três safras. A produtividade é estimada com base na produtividade histórica e na expectativa inicial e atual de produtividade de cada região. A área plantada é estimada com base na safra passada e na expectativa de incremento de área para a safra atual. A produção é derivada das estimativas de área e produtividade. 

Projeções Safra 23/24 

Entre os dados apresentados no primeiro relatório, com informações coletadas de 08/04/2024 a 15/04/2024, serão destaques as informações relacionadas à “safrinha” do milho:  

Milho 1ª safra: 23 milhões de toneladas 

A expectativa é de uma produção 15,9% menor do que a alcançada na safra passada, em função de uma queda de 14,5% na área plantada (3,80 milhões de hectares nesta safra contra 4,44 milhões na safra passada) e de 1,6% na produtividade (101,0 sc/ha contra 102,7 sc/ha). Esse resultado é influenciado por um aumento de produtividade no RS, que passou por estiagem em 22/23, e uma queda em SP, com lavouras afetadas por altas temperaturas e baixa precipitação. 

Milho 2ª safra: menor produção

Devido às margens de lucro mais apertadas e à influência do fenômeno climático El Niño, espera-se uma produção de 85,9 milhões de toneladas, o que representa uma redução de 16,1% em relação à safra passada. Essa redução será oriunda de uma menor área plantada (15,84 milhões de hectares nesta safra contra 17,19 milhões na safra passada) e de uma menor produtividade (90,4 sc/ha contra 99,2 sc/ha).

Soja: produção abaixo em 22/23

A redução de 4,1% na produção em relação à safra 22/23 será motivada por uma queda de 6,3% na produtividade, que atingirá 54,8 sc/ha, e será apenas parcialmente compensada por um incremento de 2,3% na área plantada, que chegará a 45,1 milhões de hectares. Uma maior produtividade do RS deve ser acompanhada de uma redução na produtividade no Centro-Oeste, no Sudeste e no MATOPIBA. Assim, nossa previsão de produção é de 148,3 milhões de toneladas.

*Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *