Guarapuavana construiu história de sucesso na avicultura

Aos 70 anos, Nilza Mara da Silva completa em 2024, três décadas de um trabalho com muitas conquistas na avicultura. A produtora trabalhou por 30 anos como bancária, mas desde 1994 se dedica a Granja Gema Dourada, fundada por ela em Guarapuava.

“Tínhamos uma pequena propriedade na área rural que não estava sendo explorada comercialmente. Com o intuito de ajudar uma pessoa que precisava muito de um trabalho na área rural, acabamos adquirindo 500 pintainhas de postura com apenas 15 dias de vida”, contou sobre o começo na atividade.

Segundo Nilza, no início ela não dominava conhecimentos sobre avicultura de postura, mas, determinada a levar a frente seu até então pequeno plantel, buscou aprender mais. “Fui até a biblioteca da Fafig, hoje Unicentro, para pesquisar e agregar conhecimentos sobre a atividade que estava iniciando. Passamos a enfrentar um enorme desafio, pois tudo era mais complexo do que eu imaginava, mas não tinha outra escolha, pois as pintainhas já estavam crescendo. E assim surgiu uma imensa vontade de aprender e empreender na área rural”, lembrou a produtora.

O estudo para alavancar a granja não ficou restrito ao manejo das aves. O marido de Nilza, Ernesto, era professor de contabilidade e com ele, ela aprendeu a administrar, criar controles de custo de produção e chegar no ponto de equilíbrio para a atividade começar a ser rentável.

“Fomos calcular esse ponto de equilíbrio analisando tudo que envolvia no que diz a respeito aos custos diretos e indiretos, e a produção mínima necessária para formar um capital de giro que financiasse positivamente nossa atividade. Isso também foi mais um grande desafio”, comentou Nilza.

Com um trabalho árduo e muita determinação, a Granja Gema Dourada começou a se desenvolver. Hoje, com um plantel de aproximadamente 70 mil aves, incluindo 50 mil em fase de produção, 10 mil pintainhas e 10 mil em fase de crescimento, a granja é um exemplo de sucesso no setor.

“Nossas perspectivas para o futuro consistem em continuar com os planos de expansão, automatização, inovando, modernizando e sempre se atualizando com a atividade. Hoje temos uma filha, um filho e um neto que estão trabalhando na atividade, empenhados em agregar conhecimentos da forma que nossa granja está sendo administrada”, afirmou a avicultura.

Apesar de ter a família junto com ela no empreendimento, a produtora não abre mão de acompanhar de perto e cuidar com carinho da granja. Em 2022 ela comemorou junto com a família e colaboradores uma grande conquista, resultado de anos de dedicação: o selo de equivalência do SISBI (Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal), que permite que os produtos sejam comercializados nacionalmente.

*Redação/Daiara Souza
Foto: Arquivo pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *