CooperAliança traça estratégias de crescimento e parcerias para o ano de 2024

A CooperAliança, Cooperativa de Carnes Nobres traçou um planejamento inovador para 2024, visando superar desafios anteriores e alavancar seu crescimento e de seus cooperados. Mantendo sempre seu propósito de excelência no padrão de qualidade de carnes premium pelo qual é reconhecida no mercado. Fundada há 16 anos, mas tendo como marco de seu desenvolvimento o início das atividades do frigorífico próprio em 2021, a CooperAliança definiu estratégias para que 2024 seja transformador e evolutivo em sua história.

O CEO CooperAliança, Álvaro Brandão Filho, comenta que os últimos três anos foram de constantes desafios, ocasionados por diferentes fatores, como o período da Pandemia, a oscilação de preços do setor e ainda as inseguranças de mercado dos últimos anos, somado a isso, era o começo das operações industriais da cooperativa.

“Tudo isso fugiu do que inicialmente estava programado e refletiu nos resultados alcançados. Embora o volume de vendas tenha aumentado e a CooperAliança tenha reputado preço em suas comercializações, os resultados financeiros ficaram aquém do planejado. Vale ressaltar, que isso também é devido ao investimento maciço feito na planta industrial, que é uma das mais modernas do Paraná”, comenta o CEO CooperAliança.

Para 2024, a meta é equilibrar as finanças e, posteriormente, promover um crescimento significativo. A capacidade instalada do frigorífico é para abate de 345 animais por dia e a cooperativa está focada em atingir a capacidade máxima de produção. “Um dos pontos que estamos trabalhando fortemente é reduzir a ociosidade e projetar para em menor tempo possível atingir a capacidade plena de produção. Inclusive, em 2023 chegamos perto de abater 27 mil cabeças, isso representa 30% da nossa capacidade”, detalhaBrandão.

ESTRATÉGIAS

A CooperAliança planeja aumentar o número de cabeças abatidas, oriundas dos seus cooperados, em aproximadamente 20% com relação a 2023, chegando a 32 mil animais em 2024. “É um número arrojado, por dois motivos: a originação desses animais no campo e a comercialização desse volume adicional. Mesmo com esse maior volume projetado, não vamos estar nem com 50% da nossa capacidade máxima. Então ao mesmo tempo que é arrojado é ainda retraído se comparado a capacidade da nossa indústria”, afirma o CEO.

Brandão cita a importância de não apenas focar em crescimento de abates. “Mas, em vender de forma estratégica, controlar custos e despesas, e garantir um crescimento administrado, rentabilizando as operações. A cooperativa busca um equilíbrio entre crescimento e eficiência operacional”.

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

Uma das novidades é que em 2024 a CooperAliança não focará apenas no abate de animais oriundos de seus cooperados. Ao final de 2023, a CooperAliança foi procurada por cooperativas e empresas para discutir possíveis operações de prestação de serviço de abate e desossa de bovinos. Neste tipo de operação os interessados fornecem as cabeças de gado, e pagam uma taxa de serviço para a CooperAliança abatê-los e desossá-los.

Este tipo de operação, caso se concretize, permitirá que a CooperAliança projete um abate de uma quantidade superior ao número de cabeças planejados inicialmente para 2024.

Essa iniciativa não apenas gerará receita através da prestação de serviços, mas também reduzirá custos e despesas, preenchendo a ociosidade da planta. “Todos os que nos procuraram o fizeram por reconhecer o padrão de qualidade de carnes nobres CooperAliança como referência de mercado. As cooperativas e empresas possuem rebanho bovino, mas se utilizam de instalações de terceiros para as operações de abate e desossa, por não possuírem instalações frigoríficas próprias”, explicou Brandão.

Outra modalidade de negócios prevista para 2024 são operações de “co-packing”, onde a CooperAliança embalaria produtos com marcas próprias de terceiros.

Em ambas as operações a comercialização dos produtos ficará a cargo dos terceiros que contrataram o serviço.

VALOR AGREGADO

A CooperAliança está determinada a crescer de maneira sustentável, buscando oportunidades fora do modelo tradicional. O foco em cortes premium de carnes embaladas é uma evidência dessa mudança estratégica que busca agregar valor aos produtos.

“Estamos inovando e buscando atender essa demanda crescente no mercado de um público exigente de produtos cada vez mais prontos para o consumo. Já o modelo tradicional no qual a CooperAliança foi criada, de carne premium de excelente qualidade de carcaça, somos imbatíveis. Falou em carne premium com osso, somos referência, o padrão é o CooperAliança. Agora, para 2024 nosso foco será em ampliar a inovação em nossos produtos e parcerias, muitas novidades estão previstas para este novo ano”, garante Brandão.

*Imprensa CooperAliança

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *