Armazenamento de grãos pode reduzir riscos e perdas agrícolas

O agronegócio brasileiro é reconhecido como um dos maiores produtores de grãos do mundo. A técnica de armazenamento de grãos tem o objetivo de preservar os grãos produzidos desde a colheita até a distribuição.

A armazenagem é agregação de valor, ou seja, ela faz parte da composição de custos da produção e, também, da estratégia agronômica. Assim, as principais consequências da falta de um armazenamento eficaz de grãos são:

*A qualidade dos grãos é reduzida drasticamente, prejudicando a comercialização;

*Nosso agronegócio perde competitividade e mercado externo;

*Exige que agricultores tenham que escoar rapidamente a produção, deixando-os reféns do serviço de transporte e dos altos fretes cobrados nesse período.

Benefícios do armazenamento de grãos

*Melhor planejamento do plantio da lavoura;

*Definição da melhor estratégia de colheita, a depender do clima;

*Fluxo rápido de colheita, sem deixar caminhões na fila, que vão deteriorar a qualidade do grão, sem tratamento adequado.

Então, tendo uma armazenagem que possibilita antecipar o processo de colheita da primeira safra ou da soja, o produtor consegue aproveitar melhor a janela de plantio, com produtividade superior.

Além disso, há os benefícios tradicionais na ordem agronômica, como:

*A questão da impureza: considerado um item de desconto, passa a ser um item de receita, pois o produtor pode destinar internamente na fazenda para um confinamento de gado ou para uma compostagem, permitindo diversas aplicações com retorno para o agricultor;

*O produtor pode comercializar a safra em lotes, na época em que quiser;

*Com armazenagem própria, o produtor tem a posse da sua produção, o que gera maiores possibilidades tanto no aspecto da segurança da operação quanto no melhor momento para comercialização do grão.

Tipos de armazéns de grãos mais comuns no Brasil

1. Silos metálicos

Esse é o sistema tradicional mais utilizado no Brasil. Suas vantagens são:

  • Possibilita um sistema de aeração mais eficiente;
  • Flexibilidade de separação dos lotes de armazenagem mais adequados para apartar os grãos por tipo, qualidade e épocas de colheita.

2. Modelo horizontal ou graneleiros

O modelo horizontal tem como estilo de construção o fundo plano, fundo V ou semi-V.

A decisão por uma dessas opções vai depender da viabilidade econômica, da preferência de operação e das condições de terreno (profundidade e altura de lençol freático, o que limita a quantidade de escavações que podem ser feitas).

3. Armazenagem temporária, especificamente em silo-bolsa

Esse tipo de armazenagem tem uma relevância muito grande dentro do agronegócio brasileiro porque tem salvado uma parte importante da safra, que em algumas regiões ainda fica armazenada a céu aberto.

O silo-bolsa tem como função principal guardar, ainda que de maneira mais precária, os grãos. Seu uso deveria ser temporário, mas, diante do déficit de armazenagem, é a única opção em muitas propriedades.

Por fim, o armazenamento de grãos não é um capricho, nem um fator de embelezamento da propriedade. A armazenagem faz parte da estratégia do agronegócio, então precisa ser bem analisada e bem dimensionada tanto nos aspectos técnicos quanto econômicos.

*Agrishow com edição

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *