Feijão de segunda safra pode ter redução de área no Paraná

A estimativa de feijão de segunda safra é de redução na área, saindo de 295 mil hectares na safra anterior para 293 mil hectares agora. O atraso na formação da soja, que é sucedida pelo feijão, principalmente no Sul e no Sudoeste, é uma das razões da não expansão de área.

“Apesar dos preços estarem maiores e os custos diminuídos, muitos produtores não conseguirão plantar por dificuldade no calendário”, ponderou o agrônomo da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Carlos Hugo Godinho. O feijão preto passou de R$ 224,76 a saca, em média, em 2022, para R$ 245,87 este ano.

“Com essa manutenção da área de milho e feijão, o trigo poderia ser plantado também em uma área equivalente à do ano anterior, porém a relação entre preços e custos é ainda mais ajustada para essa cultura do que para anterior. Com isso a perspectiva é que essa cultura perca área também”, disse o analista. Ainda não há estimativa para essa cultura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *