Produtora supera desafios ao assumir propriedade e inspira mulheres rurais

No tradicional espaço masculino do agronegócio, o aumento da participação feminina é uma realidade crescente. Mulheres como a guarapuavana Tatiana Bastos Alves Brunsfeld, têm liderado propriedades rurais e mostrado características marcantes como persistência, dedicação e busca constante por aperfeiçoamento.

A história de Tatiana com o agronegócio teve início em 2013, após a perda de seu irmão, Carlos Alberto Abreu Alves Filho (Carl), que era o administrador, agrônomo e gerente da propriedade da família. Antes de assumir a propriedade, a produtora atuava em sala de aula.

No entanto, sob influência dos pais, ela sempre nutriu um amor pelo campo. “Passei por muitas dificuldades e desafios, pois na época trabalhava como professora e a fazenda para mim era um lugar de descanso e lazer. Mas o amor pela terra que herdei de meus pais, a busca pelo conhecimento, a ajuda de algumas pessoas e o apoio da Coamo. E, principalmente, o amparo de Deus, me fizeram acreditar que seria possível continuar a honrar o trabalho das gerações que me antecederam”, contou em entrevista ao AgroRegional. Com 73 anos, a mãe de Tatiana também é o exemplo da força que a mulher rural carrega, trabalhando diariamente na fazenda e servindo de inspiração para a filha.

De acordo com a produtora, a propriedade tem a agricultura como a principal atividade. Ao longo dos anos, a Tatiana transformou a fazenda em um local de trabalho diário, superando desafios na busca por qualidade e excelência. Sua trajetória envolve a adaptação a uma nova realidade, com apoio do marido e dos pais, sendo o pai, mesmo após seu falecimento, uma fonte constante de inspiração.

“Hoje, não consigo imaginar minha vida sem meu trabalho na fazenda. Sem todos os desafios diários que enfrento. Na busca por níveis altos de qualidade e excelência dentro da propriedade. O mundo de hoje exige muito dos profissionais. Por isso, precisamos sempre seguir pela estrada do aperfeiçoamento, buscando práticas sustentáveis, trocando experiências, seguindo sempre o caminho da honestidade, transparência e ética, cuidando com todo amor e competência da terra que nos é emprestada pelas gerações futuras”, comentou.

SUCESSÃO

No contexto da sucessão familiar, Tatiana destaca a sabedoria de seu pai. “O meu pai, ele preparou sucessores. Ele não preparou herdeiros”, disse. A fala revela como, pensando no futuro da família, o pai de Tatiana preparou os filhos para os desafios da vida e do trabalho no campo. “Ele sempre se comportou tendo consciência de que um dia ele não estaria mais lá. Claro que a morte do meu irmão surpreendeu muito ele. Mas o meu pai sempre agiu dessa maneira, então ele sempre tentou ir aos poucos, entregando as coisas, passando as coisas para nós”, contou a agricultora.

Segundo a produtora, o pai foi muito sábio e nunca quis concentrar o poder nas próprias mãos. Ele foi passando a rotina da propriedade aos poucos. “Eu tenho muita admiração pela forma sábia e inteligente que ele conduziu as coisas. Ele não sentava e falava assim, “vamos falar de sucessão familiar”. Não. Mas, aos poucos, foi nos ensinando a pescar, e não nos dando peixe”, explicou, afirmando que espera saber fazer da mesma forma com o filho.

*Redação/Daiara Souza

Foto: Reprodução/Coamo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *