Produtor de Entre Rios destaca desafios da produção orgânica

Filho de agricultores, o produtor Jairo Henrique Neck, de Entre Rios, em Guarapuava, nasceu no município de São Martinho, localizado no interior de Santa Catarina, onde cresceu no campo, mas devido aos estudos acabou ficando longe da agricultura por um tempo. Hoje, ele é formado em Engenharia Mecânica, é técnico agrícola e produtor de orgânicos.

Enquanto morava em Curitiba, ele e a esposa não tinham o hábito de consumir alimentos orgânicos, mas após terem filhos, passaram a alimentá-los apenas com esse tipo de alimentação saudável. Quando mudou para Entre Rios, em 2018, não os encontrava com facilidade. E, por esse motivo, resolveu iniciar sua plantação.

“Nós nos mudamos para Entre Rios, e a gente não encontrou como encontrava em Curitiba. Lá comprávamos nas feiras de orgânicos, com os fornecedores, no Mercado Municipal e nos Supermercados, tendo bastante variedade. Aqui, não achamos, e, por esse motivo, decidi começar uma pequena plantação para, a princípio, consumo próprio”, contou.

Jairo sempre teve o sonho de ter sua própria plantação de orgânicos, e aproveitou a oportunidade para colocar em prática, iniciando a propriedade já no sistema orgânico, onde planta verdura, legumes, grãos, aspargos e, segundo ele, “tudo o que a época do ano propicia”. Seu negócio foi dando certo, as coisas foram se encaminhando, as pessoas começaram a se interessar pela sua produção e cada vez mais foi subindo o número de pessoas que o procuravam.

“O meu plantio já começou no sistema orgânico, eu só não tinha ainda o certificado porque a certificadora exige o tempo. No meu caso, uma parte da área foi em um ano, outra parte foi dois anos de conversão”, destacou Jairo. Desde 2021, ele tem 100% da produção certificada como orgânica.

Desde o início de seu plantio Jairo buscou a ajuda do Programa Paraná Mais Orgânico, projeto do Governo do Estado em conjunto com as universidades estaduais. No caso de Jairo, ele foi assistido pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). O objetivo do programa é dar apoio e assistência aos agricultores familiares no processo de comercialização e certificação dos produtos orgânicos.

“O pessoal do Paraná Mais Orgânico me ajudou desde o início no processo de certificação, eles fazem todo o acompanhamento. Todo o ano nós temos as auditorias de renovação de certificado. Então, eles fazem todo esse acompanhamento para manter o certificado em dia”.

Desafios

Apesar de a produção estar cada vez mais dando certo, o produtor relata algumas dificuldades que enfrenta e já enfrentou pelo caminho. Uma delas é a questão da comercialização para os supermercados. “Você tem que conseguir vender o que produz. Os alimentos orgânicos, principalmente as verduras, têm tempo de prateleira, você colheu, tem que vender. Chegamos a oferecer para supermercados, mas eles não quiseram, falaram que tem medo de não vender e perder”, explica.

Por isso, hoje, o agricultor comercializa seus produtos nas feiras da Unicentro, e através de grupos de WhatsApp, onde uma vez por semana as pessoas fazem pedidos, e no dia seguinte, ele colhe e faz as entregas.

Outro ponto levantado por Jairo é a pouca tecnologia para se produzir orgânicos. “Trabalhamos muito na prevenção para não ter problema de pragas ou doenças. Mas, mesmo assim, acabamos sofrendo bastante com isso, tendo bastante perda na produção. Esse é até um ponto que impacta no custo do consumidor final, porque ele, como tem muita perda, o produto acaba sendo mais caro também. Muitas vezes o consumidor não enxerga da porteira para dentro”, aponta.

*Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *