Moradora de Prudentópolis troca comércio pelo cultivo da erva-mate

Apesar de morar no interior, na linha Barra Grande, em Prudentópolis, a agora produtora, Claudineia Bandura (32 anos), tinha o dia a dia focado na área urbana. A propriedade da família fica há cinco minutos da cidade.

“O meu interesse pelo cultivo da erva-mate começou quando compramos uma chácara, onde há um pé de erva-mate em cera com muitos anos de vida. Olhava os frutos que dava, porém, não sabia como germina-los”, contou em entrevista ao AgroRegional.

De acordo com ela, inicialmente houve uma grande dificuldade em encontrar informações sobre a cultura. Mas, na primeira oportunidade, Claudineia não deixou escapar e foi uma das primeiras a se inscrever em um curso sobre erva-mate promovido pelo Sindicato Rural do Município, com ideia do vereador Joacir Bobato e com a parceria do Senar-PR. Após a finalização, os participantes receberam algumas mudas da planta.

“Foi muito importante para o meu desenvolvimento nesta área. Tivemos um professor incrível, o agrônomo João Ronaldo de Freitas que ensinou tudo que eu precisava para ter os meus objetivos. Mesmo com o término do curso, quando tenho dúvidas mando mensagem e sempre que possível ele me retorna”, afirmou.

O interesse foi tão grande, que Claudineia teve uma mudança radical na vida. A decisão de trabalhar com a erva-mate arrancou admiração de muitas pessoas. “Decidi focar e pôr em prática o que aprendi no curso, resolvi mudar radicalmente a minha vida. Fechei minha loja de roupas e segui em frente na agricultura”.

A troca de ambiente de trabalho também permitiu que a ex-comerciante tivesse mais tempo para estar com as filhas Lara, Luccy e Laysa, que acompanham a mãe nos trabalhos na estufa.

Apoio

Para conseguir alcançar os objetivos no cultivo, ela contou com o apoio da família. O marido Hilde Jean A. Pereira e o sogro Adolfo Manuel Pereira, foram os responsáveis pela primeira estufa onde ela produz as mudas. “Fiz minhas primeiras mudas assim que concluí o curso, totalizando 20 mil mudas de erva nativa”, destaca Claudineia.

Recentemente, pensando em continuar com o projeto, a família comprou mais um terreno com pés de erva-mate com cera, visando cada vez mais a qualidade das mudas.

“Todas essas mudas serão cultivadas nas nossas terras como uma renda extra. Pretendo na próxima etapa me cadastrar no Renasem para a comercialização das próximas mudas. O Renasem é o Registro Nacional de Sementes e Mudas, ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento.

Por fim, Claudineia diz que se sente muito grata pela ajuda e apoio que recebe da família. “Sou eternamente grata a Deus, meu esposo, filhas e meu pai Pedro Bandura e mãe Lúcia Bondura e filhas que apoiaram e me ajudaram na realização desse projeto”.

*Redação/Daiara Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *