Sr. Izaltino, o agricultor centenário de Irati

Izaltino Ursolino Machado atingiu em junho deste ano, a marca de um século de vida. Um feito para poucos. E apesar de hoje conviver com o Alzheimer, é um homem forte, caminha, come sozinho e até anda a cavalo.

A vida de Izaltino foi na agricultura. Nasceu em Volta Grande em 8 de junho de 1922 e depois se mudou para Boa Vista do Pirapó. A família ao contar sua história, relata que ele só estudou até a segunda série, dos sete aos nove anos, mas conseguiu aprender a ler, escrever e fazer contas.

Aos familiares, ele relata que ao chegar da escola, deixava o “bocó” com o caderninho no paiol e seguia direto para a roça almoçar com seus pais e trabalhar. Ele conta ainda que tinha uma enxadinha e ficava trabalhando perto do paiol para quando não aguentasse, pudesse descansar.

Mais tarde, após se casar com dona Anita, Izaltino teve 11 filhos, oito meninas e três meninos. Ele contava aos seus herdeiros que perto da lavoura de seus pais havia uma família com muitos filhos, por isso ele também quis ter bastante para render o serviço. Vale lembrar que na época em que seu Izaltino iniciou na agricultura, o trabalho era essencialmente braçal.

Na roça, plantava feijão, arroz, milho, trigo, batata, cebola, alho, amendoim, pipoca e mandioca. Mas, as atividades eram muito difíceis e a maioria delas eram feitas de forma manual e algumas com tração animal. O agricultor carrega até hoje os resultados de tamanho esforço. Segundo a família, ele adquiriu uma hérnia no estômago que até hoje lhe incomoda.

Dona Anita sempre foi uma guerreira e apoiadora do marido. Logo no início do casamento, Izaltino ficou muito doente e precisou ficar acamado por cinco anos. Nesse período, a agricultora contou com a ajuda da comunidade e da família para fazer as safras.

Aos poucos, seo Izaltino foi melhorando, mas não ficou 100%, no entanto, seguiu trabalhando e começou a cultivar tabaco. Foram 30 anos mexendo com a cultura. Em 1975, dona Anita teve um AVC, ficou doente e em 1982 acabou falecendo.

A família sofreu bastante, mas com muita força e coragem, o agricultor continuou a vida com os filhos até todos se casarem. Todos trabalharam na agricultura, alguns partiram para o comércio e atualmente estão quase todos aposentados. Duas filhas já faleceram.

Em cem anos, seo Izaltino acompanhou muitas transformações na agricultura e grandes acontecimentos do mundo. Passou por muitos desafios, como a gripe espanhola e pela invasão dos gafanhotos que deram prejuízos às plantações. E se tem algo que ele gosta é de contar a história da sua vida.

Para comemorar o centésimo aniversário de Izaltino, foi realizada uma cavalgada em sua homenagem. Liderando a tropa, ele emocionou a todos os presentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *