Mercado Produtos da Terra fomenta empreendedorismo em Guarapuava

Criado no final de 2019 em Guarapuava, o mercado Produtos da Terra, oportuniza a empreendedores, artesãos e produtores rurais a possibilidade de comercialização de seus produtos. A iniciativa trabalha a partir da economia solidária e é fomentada através das Secretarias de Políticas Públicas para as Mulheres e de Agricultura.

O Produtos da Terra fica localizado no terminal rodoviário de Guarapuava e atende de segunda-feira a sábado das 12h30 às 18h30. 

O AgroRegional visitou o local e conversou com um dos diretores, o artesão Reginaldo Penteado, um dos empreendedores que atua no local desde o primeiro ano do Produtos da Terra, vendendo artesanato em madeira. 

Foto: Redação

“Aqui foi uma necessidade da população de Guarapuava. O pessoal faz alguma coisa na casa e não tem um local para vender. Então com a parceria da Secretaria da Mulher, da Secretaria da Agricultura, da Prefeitura de Guarapuava, eles abriram esse espaço aqui. Para pessoal que produz alguma coisa e não tinha esse espaço para poder vender, então surgiu dessa forma”, conta.

No local há uma diversidade de itens à venda, desde objetos para decoração e presentes, a produtos de panificação e da agricultura familiar. “Nós temos vários tipos de artesanato, artesanato de madeira, crochê, lembranças de Guarapuava, produtos de bambu, que tem um empreendedor que faz, tem suculentas, tem a parte de panificação também, tem bolo, pão, bolachas, vinho, conservas, algumas verduras que alguns produtor tem na casa e traz pra vender que são tudo fresquinho”, lista Reginaldo. 

Foto: Redação

COMO FUNCIONA

Operando através do princípio da economia solidária, o mercado Produtos da Terra conta atualmente com 23 empreendedores que se revezam no atendimento aos clientes. “A gente fabrica, produz algum produto e traz para vender aqui. Então com a parceria da Secretaria da Mulher a gente faz um curso de economia solidária. E aí, um dia da semana, você vem trabalhar. Então, todo dia vai ter uma equipe diferente trabalhando aqui”, explica. 

Foto: Redação

Reginaldo comenta que os produtores que têm vontade de expor no local devem entrar em contato com a  Secretaria da Mulher, responsável pelo curso de economia solidária. 

Ainda segundo ele, as equipes atuam auxiliando os clientes na compra de todos os produtos, não apenas da própria produção. Além disso, eles realizam um controle de caixa, repassando corretamente os valores para cada dos empreendedores participantes.  

Foto: Redação

AVANÇO

O local abriu pouco antes da pandemia e logo de início sentiu os reflexos da situação. Mas, conforme o diretor, o mercado vem recuperando as vendas e apostando bastante na divulgação dos produtos disponíveis.

“Devagar a população vai conhecendo e vai conhecendo como funciona. O povo tem aderido, tem gostado e tem bastante produto de qualidade aqui. A gente preza muito a qualidade do produto e um preço justo né, tanto pro empreendedor, quanto pro consumidor também”, destaca. 

*Reportagem: Daiara Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *