Para desenvolver propriedade, produtor buscou formação em Agronomia

Criado na lida da pecuária, Italo Caldas Ribeiro, morador de Pinhão, nunca pensou em largar o campo para atuar fora da propriedade. Pensando nisso, ele buscou complementar o conhecimento no agro através de uma graduação. Desde 2016 ele aplica o que aprendeu na universidade na propriedade da família.

“Com a formação que tive, me ajuda sempre a buscar cada vez mais novas tecnologias para melhorar a produção”, afirmou Italo ao AgroRegional Guarapuava.

Quando pequeno, ele ajudava o pai na pecuária de cria e recria e somente quando iniciou a faculdade que iniciou a compra de implementos. Hoje, a atuação é também no cultivo de grãos. “No verão são cultivados principalmente soja e milho. No inverno, plantamos a aveia para pastejo do gado, que durante o verão fica em outra propriedade onde o terreno é impróprio para plantio”, relatou, destacando que produtividade desse ano foi umas das melhores já alcançadas durante toda sua trajetória na agricultura.  “Mas, consequentemente o preço das commodities também baixou bastante”, lamentou o produtor.

Trabalhando em família, atuam, além de Italo, a esposa Damiane Maria da Silva Ribeiro, os pais e a irmã. “A rotina sempre é corrida. Sempre tem trabalho, quando não é referente com a lavoura, é com o gado. Muitas vezes saímos cedo de casa e voltamos só à noite. Sempre que pode, minha esposa está ajudando em tudo”, disse o produtor.

Foto: Arquivo Pessoal

Italo conta que ele e a esposa Damiane querem incentivar o filho José Felipe (2 anos), a gostar do mundo rural e a valorizar a atividade dos pais, assim como eles. Por isso, o casal tem inserido o pequeno no dia a dia da propriedade. “Nosso filho, desde recém-nascido, sempre nos acompanha em todas as atividades”, comentou Italo.

Foto: Arquivo Pessoal

IMPORTÂNCIA

Ainda jovens, mas com uma história no agro, o casal destaca que mesmo sabendo da relevância que a atividade tem, também entende que muitas vezes são desvalorizados. Mas ainda assim, não se veem fazendo outra coisa.

“O produtor não tem reconhecimento, quando na maioria das vezes, tudo que as pessoas comem na cidade é do interior, é do produtor rural, desde o que produz uma folha de alface, até aquele que produz toneladas de soja”, afirma Italo.

“Agricultura e pecuária é um jogo. Uma pessoa que tem salário sabe que no final do mês vai ganhar esse valor. A gente não sabe se pode ter prejuízo, se pode ganhar, tudo depende. É uma aposta que você faz, não sabe o que vai acontecer, depende do tempo, depende de tudo”, lembra Damiane.

PINHÃO

O resultado preliminar do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) 2022 mostra que o trabalho de produtores como Italo e Damiane vem surtindo um efeito positivo na produção agrícola e de pecuária de Pinhão. Os dados da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) mostram que o município teve dois avanços no último ano.

O primeiro é por ter atingido a casa do bilhão, saindo de R$994.706.265,72 em 2021 para R$1.182.934.609,64 ano seguinte. Outra conquista foi a ascensão dentro do Núcleo Regional de Guarapuava, subindo da quarta para a terceira posição ao superar Candói nos maiores VBP’s.

*Daiara Souza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *